terça-feira, 8 de março de 2011

OLÁ MEUS QUERIDOS (AS) ACADÊMICOS (AS) DO 2º PERÍODO DE PEDAGOGIA - FACIMP
É com muita alegria que recebo cada um de vocês para que possamos interagir sobre as reflexões que Pedro Demo nos suscita a fazer, diante do quadro da educação brasileira no seu livro Ironias da Educação. Sua participação nesse fórum com certeza se traduzirá como mais uma contribuição de grande relevância, bem como um instrumento análise do seu modo de pensar a educação.
"Nenhum de nós é tão inteligente quanto todos nós juntos.”
Warren Bennis Autor Norte-Americano
SEJAM BEM VINDOS!
Comentários sobre a obra:
DEMO, P. Ironias da Educação: mudanças e contos sobre mudanças. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. 2ª edição.


BREVE ABORDAGEM SOBRE A OBRA
Texto de: Joselma Gomes (Psicopedagoga Clínica e Institucional / Pedagoga)


De acordo com o estudo do livro acima citado, é possível observar que o autor chama a atenção para a grande necessidade de mudança no contexto educacional brasileiro, como uma das condições sine qua non para se  chegar a verdadeira transformação social e uma educação consciente. No entanto, ao propor essa quebra de paradigmas, se depara com uma série de entraves historicamente construídos, vindos de todas as instâncias, inclusive dos próprios educadores, retroalimentando assim um sistema neoliberal, que tem como principal objetivo mascarar uma realidade, deixando que todos permaneçam inseridos em um sistema sem críticas, sem transformações, ou seja, um sistema que apenas aceita fatos, seja de natureza política, social e principalmente econômica que rodeia a todos os brasileiros.

Queridos(as) acadêmicos (as)
Após ter realizado as leituras sugeridas, os nossos comentários acontecerão em torno dos seguintes tópicos: 
1. Você irá descrever de forma objetiva a ideia principal da obra lida, fazendo inferências suas, acerca do tema discutido pelo autor;
2. Você irá ressaltar duas ideias secundárias da obra na forma de citação, em seguida irá comentá-las (explicá-las).

68 comentários:

  1. 1.NO LIVRO E RELATADO PELO AUTOR QUE A PEDAGOGIA PARA SER PEDAGOGIA TRANSFORMAORA NECESSITA PRIMEIRO QUE ELA SEJA COESA ESTABELECENDO A TRAFORMAÇÃO EM SI MESMA COM O OBJETIVO DE QUEBRAR AS IRONIAS VIVENCIADAS HOJE NA EDUCAÇÃO.
    2.01-DEMO CITA que "...O preço do conhecimento é a perda da inocência..." OU SEJA NÃO SE PERMANECE COM O MESMO OLHAR DEPOIS DE ABRIR SE AO CONHECIMENTO POIS NINGUEM VOLTA AO SEU ESTADO INICIAL,PELO CONTRARIO PASSA A OLHAR O MUNDO E A SI MESMO CADA VEZ MAIS DE FORMA CRITICA.
    2.02-"...É Preciso olhar de frente e saber desmanchar e desmachar-se..." ou seja e necessario não somente espalhar pelos quatro cantos que todos os sistemas precisam de inovação mais também reconhecer que a inovação e pra todos inclusive pra se proprio alcançando assim um novo patamar.
    assinado: Katherynne Santiago.

    ResponderExcluir
  2. Este livro relata uma realidade muito dificil de de ser assumida,fala-se em transformar porém o comodismo de alguns pedagogos impedem que isso aconteça.
    Pedro Demo é muito sincero nas criticas com o objetivo de abrir os olhos da sociedade para que não recuar ou somente cobrar e esperar transformações,e sim procurar fazer a difereça sem murmurações mas com ações que causem mudanças positivas para todos nos.

    Lusilene Pereira
    Pedagogia 2ºPeríodo

    ResponderExcluir
  3. Oi Katherynne, muito importante quando você coloca a necessidade de uma pedagogia tranformadora no novo contexto social. De acordo com o autor, a Pedagogia vigente não surte mais efeito diante das necessidades que hoje se apresentam, principalmente a necessidade do senso critico, frente a determinadas situações educacionais

    ResponderExcluir
  4. Lusilene você relata sobre a dificuldade de um novo paradigma educacional. Isso torna-se mais dificil quando nos deparamos com o modelo de educação que os educadores foram submetidos, ou seja, uma educação unilateral, onde o educador era o centro de tudo. Hoje a nova realidade vem se mostrar muito mais complexa diante de todo o quadro social que temos. É preciso não só mudar o olhar do educando, mas também do educador e é nesse momento que se traduz a grande dificuldade.

    ResponderExcluir
  5. pedagogamarcivani@hotmail.com11 de março de 2011 17:11

    1- O autor mostra que pra ter uma pedagogia transformadora é necessário que haja uma autocrítica, ou seja, avaliar-se a si mesma.
    2- DEMO, P."...Se nada houver para desconstruir, também nada haverá para mudar."
    O autor refere-se, ao questionar, ou desmanchar os conceitos já estabelecidos e refazê-los de maneira coerente afim de que haja de fato uma mudança.
    2.1- DEMO,P."...o processo de formação da autonomia do aluno exige a presença do professor..."
    Aí está explícito a formação do aluno em saber pensar, em saber produzir, mediante a indispensável presença do professor, pois é ele o facilitador que este aluno necessita para adquirir sua própria autonomia, ou seja, seus próprios projetos.

    Marcivani Dantas
    2º Período de Pedagogia

    ResponderExcluir
  6. ruth pedagoga ; a ideia ,principal do texto o autor fala em uma grande ironia em pedagogia da trasformacao mais essa transformacao e feita apenas em quartos paredes de uma academia e nada se muda.sim ta na hora da pedagogia de prontificar para uma verdadeira mundanca.e nao ficar apenas em sonhos.

    ResponderExcluir
  7. Vale ressaltar a necessidade de mudar fora das quatro paredes da faculdade e fazer a diferença exatamente na práxis educativa, ou seja, fazer com que tanto o educando, quanto o educador compreendam que, estando em um mundo em constantes mudanças precisamos de uma educação inovadora sempre, com o objetivo de, pelo menos, aproximar-se da realidade em que se vive, para que assim o aluno saiba lidar com o mundo que o aguarda.

    ResponderExcluir
  8. pedagogamarcivani@hotmail.com16 de março de 2011 22:57

    1- O autor mostra que para ter uma pedagogia transformadora e eficaz, capaz de resolver as pendências existentes no âmbito da aprendizagem, é necessário haver uma autocrítica, ou seja, avaliar-se a si mesma.
    2- DEMO, P."... se nada houver para desconstruir, também nada haverá para mudar. P.68)"
    Esta citação refere-se ao questionar, ou ao “desmanchar” os conceitos já estabelecidos pelo sistema e refazê-los de maneira coerente no que diz respeito a: "Educação e Conhecimento são fatores centrais das mudanças."DEMO, P.(P.12)
    2.1- DEMO, P."...o processo de formação da autonomia do aluno exige à presença do professor...(P.87)"
    Aí está explícito a formação do aluno quanto o saber pensar, saber produzir, mediante a indispensável presença do professor, sendo ele um facilitador para que este aluno adquira sua própria autonomia, ou seja, seus próprios projetos.

    ResponderExcluir
  9. Nesta leitura foi possivel notar a grande ironia vivida na educação devido a falta de autocritica dos participantes desta que na qual fala tanto em tranformações mas a mesma não tem a coerencia de fazer aquilo que tanto discursa pelos quatro cantos.
    2.1"...Afinal,quem pretende inovar não pode inventar algo que não seja mais "inovavel"...(pag. 30)" nesta citacão e possivel notar que a pedagogia pode ate pretender inovar mais permanece com as mesma taticas so que com uma diferença maquiada para enganar a si mesma e os outros que ela tambem sabe inovar mais rejeita toda e quaquer critica sempre se coloca emestado de auto defesa.
    2.2"...O profesor torna-se facilitador...(pag.48)"nesta citação remte a ideia de como o professor deve agir como um facilitador do conhecimento gerando essa inovação tão proclamada pelo autor quando o professor veste a camisa da inovaçao e aceita a critica para mudar essa situação.
    assina:Camila Fontes

    ResponderExcluir
  10. A critica do autor relata sobremétodo de ensino nas escoltudo, que o as e universidades necessicita de uma transformação urgente,pois pois professores despreparados formam alunos despreparados pra o mercado de trabalho.
    1-["Dizer que a maioria dos professores não sabe aprender,e, consequentemente,não
    sabe fazer o aluno aprender,é tomado como ofensa...]pag 25 esse trecho o autor critica o comodismo dos educadores nao que não possui um projeto pedagógico,limitando a interação entre aluno professor fazendo de suas aulas um discurso intediante.
    2-" O que mais me intriga,é muitos educadores ainda defendem e Escola Normal,inclusive o tipo encurtado de formação." pag 20 muitos eeducadores estão acostumados a este sistema, pois buscar por mais conhecimentos dará muito trabalho,pois os eu sálario continuará sendo o mínimo. joselita carvalho oliveira

    ResponderExcluir
  11. Camilia, parabens pela sua abordagem. Você ressaltou coisas importantíssimas como o ato que nomeamos de meta cognição, ou seja, ação, reflexão, ação, exercício esse que muitos profissionais da educação não fazem e acaba praticando apenas, uma educação cega, sem críticas, sem inovações frente o que a sociedade oferece.
    Muito bom seu comentário.

    ResponderExcluir
  12. Oi Marcivani,
    Cada palavra colocada pelo autor nos leva a uma reflexão partiular. Por exemplo quando ele coloca a necessidade de "resolvermos pendencias" que se construiram historicamente e que, diante de tudo o que temos enquanto inovação social, elas - as pendencias - permanecem até hoje carecendo de profissionais criticos no âmbito da educação posto que, é a educação que faz a diferença de um país. No entanto esse profissional crítico, questionador, que realmente leva o educando a uma aprendizagem critica e questionadora frente ao contexto social, não nasce, não aparece e o exercicio da pegagia permanece quase da mesma forma como chegou aqui pelos jesuitas.
    Essa "desconstrução"se faz necessária, no entanto só chegará quando o professor de sala de aula SE compreeender como o mediador que fará o link necessario e que unirá sociedade e educação numa relação harmonica e produtiva.

    ResponderExcluir
  13. NESSA OBRA DEMO NOS MOSRA COM CLAREZA A INÉRCIA QUE SE ENCONTRA A EDUCAÇÃO.O MUNDO ENCONTRA-SE EM PROCESSO DE GLOBALIZAÇÃO,MUDANÇAS EM TODAS AS ÁREAS,SOCIAIS E ECONÔMICAS.OS EDUCADORES NÃO ESTÃO ACOMPANHANDO ESSE PROCESSO.O QUE SE VÊ É A REPETIÇÃO DE ANTIGOS MODELOS DE AULA E MÉTODOS AVALIATIVOS.TEMEM NÃO ESTAREM PREPARADOS PARA MUDANÇAS.O AUTOR DEIXA ISSO BEM CLARO QUANDO CITA:
    "(...)Desconhecem o que é aprender - é estranho que, em contexto de Escola Normal, ocorra este tipo de problema; como diz o provérbio: "em casa de ferreiro, espeto de pau"; reside aí, talvez, a contradição mais comprometedora, porque se trata de consumado conto-do-vigário: os professores são o que os alunos jamais deveriam ser; desconhecem o esforço reconstrutivo que a aprendizagem supõe, com base em pesquisa e elaboração própria, individual e/ou coletiva, prendendo-se em amenidades e futilidades, que já fazem parte do folclore pedagógico". (p. 16)
    A DIFICULDADE DE COMPREENÇÃO E CONCIENTIZAÇÃO DA PARTE DOS PROFESSORES,QUE DEVE SIM HAVER UMA MUDANÇA UMA RECICLAGEM É UM DOS MAIORES FATORES PARA O ATRAZO NO PROCESSO EDUCACIONAL.UMA VEZ QUE OS PROFESSORES NÃO ESTÃO ACOSTUMADOS A RECEBER CRITICAS E SIM A FAZE-LAS COMOS PODEMOS VER NESSA CITAÇÃO DE DEMO:
    "(...)todos defendem o projeto pedagógico, mas poucos(quase ninguém)o tem elaborado, resultando sempre em discussões alongadas e inúteis, tendo como passo final e certeiro jamais chegar a beneficiar o aluno, até porque não se chega a lugar nenhum(...)" (p. 26)
    POUCOS SÃO OS PROFESSORES QUE VIVENCIAM O QUE FALAM,QUE TRANSFORMA A TEORIA EM PRÁTICA.
    A IDÉIA PRINCIPAL DE DEMO É TRAZER ESSA CONSCIENTIZAÇÃO PARA OS PROFISSIONAIS DA ÁREA,E TAMBÉM ABRIR OS OLHOS DA SOCIEDADE EM GERAL.

    ACADÊMICA:Ana Patricia Vieira

    ResponderExcluir
  14. O livro ironia da educação relata muitas criticas referindo-se a pedagogia que ela abusa a tranformação social ou seja por trás de conceito o autor tambem relata que os pedagogos devem receber criticas poque a assim avalia a sim mesmo.Alguns professores não sabe fazer alguma coisa para que o aluno que tem mais dificudade aprenda é tomado como ofensa não agem como mestre mais sim como um professor que so está na sala para cumprir seu papel.Eu achei muito legal esse livro porque o autor Pedro Demo fala muitas verdades.

    Ana Caroline Alves Moraes

    ResponderExcluir
  15. Existem professores que não estão agindo conforme a pedagogia ensina,professores que entram em sala de aula com um determinado conteúdo,explicando,passando atividades,mas não tem a preucupação de saber se realmente houve aprendizagem,se o aluno consegui entender tal assunto muitos simplismente vistam o caderno ou atividade sem sequer olhar se realmente ta certo, se tem palavras erradas,simplismente passar o visto só porque ta feito é fácil. A pedagogia inovadora deve ser vivida pelo professor dentro e fora de sala para que haja uma educação de qualidade. Ass: STELLA KARINA

    ResponderExcluir
  16. O foco principal desse livro e relatar sobre a postura dos professor mediante as criticas nos processos da aprendizagem.

    na pag.: 16 do livro consta a seguinte citação "desconhecer o que é aprender" essa citação relata que existem professores que se voltam somente para o que aprenderam e não procuram aprender além do que já sabem deixando-se cair na monotomia sem procurar ir além do que podem ir.
    Na pag.: 32 já possui essa outra citação "pouco vale criticar sem propor" essa frase já nos relata o que mais vemos os professores não aceitam criticas a cerca do que estão fazendo para eles o que vale é o que estão ensinando sem perceber que as criticas podem ser construtivas para sua postura profissional.

    ass.: Skarleth Horrary

    ResponderExcluir
  17. A ideia principal que o autor aborda sobre a pedagogia da transformaçao é a grande ironia vivenciada hoje na pedagogia que só ocorre essa transformação entre quatro paredes de uma academia e nada se muda. Sim ta na hora da pedagogia se prontificar para uma verdadeira mudança e não ficar apenas em sonhos.
    2.1"...Os professores,como regra, estao muito despreperados para a tarefa de fazer o aluno aprender direito ;em primeiro lugar , não por conta do sistema , dos governantes ou do capitalismo ,mas porque não sabem aprender...(pág.25).nesta citação e evidente a falta de compromisso dos professore com aprendizagem devido sempre colocar a culpa do seu trabalho de baixa qualidade na desvalorização profissional.
    2.2"...para superar o circulo vicioso,segundo o qual má formação existe em função do baixo salario e vice-versa ,resta esperar que a iniciativa mais correta venha dos proprios professores...(pág.83)"Demo nesta citação nos mostra uma saida para o caos que a pedagogia tem enfrentado mediante ao desanimo dos professores no entanto cabe somente a eles mudar a "pedagogia da transformar" passando por um permanente processo de metamorfose.
    assinado:RUTH SOUSA

    ResponderExcluir
  18. O autor relata o seguinte:

    1-"Os professores,como regra,estão muito despreparados para a tarefa de fazer o aluno aprender direito;[...]mas porque não sabem aprender.Preferem,então,encobrir os problemas,em vez de enfrentá-los;afinal,é mais cômodo continuar dando a mesma "aulinha" de sempre,sem admitir que muitos alunos querem apenas esse tipo de aula também para não terem que se dedicar mais...(pag.25)" nesta citação entende-se que a qualidade do ensino depende muito do desempenho renovador dos professores,deveriam encarar como um desafio da aprendizagem.A pedagogia fala de transformação,mas não a faz,precisaria deixar de oferecer conselhos inovadores ,sem,ser.Por isso que DEMO,P. utiliza o termo "IRONIAS" para mostrar o contrário daquilo que se está pensando,dentro da educação.
    2- "Entre os obstaculos à aprendizagem do aluno,um dos mais comprometedores é,certamente,a má formaçao do professor...(pag.20)".Em sua obra inteira DEMO,P. fala do despreparo do professor,afetando os alunos com falta de conhecimento na área de tecnologia e sociedade da informação,sendo assim considerados "analfabeto".
    3- "Defendem,em suas conversas,que consciência crítica é fundamental.Apontam nos adversários da educação a falta de consciência crítica.Entretanto,logo fogem dela...(pag.21)"
    No ponto de vista deDEMO,P.,os professores devem entender que aprender não é só prazer,tem de suportar contraquestionamentos,usando consciência crítica,dando oportunidade ao aluno aprender não somente aquilo que lhe dá prazer,mas,o que o incomoda profundamente.Dando oportunidade do aluno argumentar,contra-argumentar e questionar o conhecimento existente.

    Juceane de Sousa Matos
    2°Período de Pedagogia
    18 de março de 2011

    ResponderExcluir
  19. O livro trata da pedagogia e das mudanças que necessitam acontecer, vemos que o professor fala muito da pedagogia inovadora mais a teme.
    2.1 "Os professores, como regra, estão muito despreparados para a tarefa de fazer o aluno aprender direito, em primeiro lugar, não por conta do sistema, dos governantes ou do capitalismo, mas porque não sabem aprender". ( página 25) Podemos notar que enquanto o professor não souber aprender e vivenciar esse aprendizado continuaremos a ter alunos que não têm vontade de aprender o professor para o aluno é um exemplo e deve estimula-lo..
    2.2"O sistema não teme pobre que tem fome, teme pobre que sabe pensar, para saber entretanto, há que virar a escola pelo avesso, começando pelo professor". ( página 27) Grandes palavras do autor essa é a verdade quando um pobre quer aprender já é olhado de maneira diferente,e essa expressão de virar pelo avesso cai muito bem, ele chega com sede de aprender e exige do professor o conhecimento.
    Belo livro..
    Gessica MOura da Silva
    2 período de pedagogia.

    ResponderExcluir
  20. Gessica, Você foi onde eu estava esperando que alguém fosse, mencionar que o sistema teme o pobre que sabe pensar. E é aí que mora o grande paradigma da educação pelo menos no nosso pais, não deixar que o pobre aprenda a pensar simplesmente para manter uma situação onde a elite sempre é a grande prioridade. O ato de fazer/saber pensar é na verdade o que diferencia um sujeito de outro e a partir disso todas as oportunidades lhe são chegadas. Adorei o comentário.

    ResponderExcluir
  21. Faculdade de Imperatriz – Facimp
    Curso: Pedagogia
    Acadêmica: Nayane Sousa Mota
    Turma: 2º Período
    Disciplina: Sociologia da Educação

    1 – A idéia central resume-se em que a grande ironia da educação e que esta só voltou a ser considerada tão importante, mas por causa da cidadania mais porque é útil a competitividade imposta pelo mercado. Pois é possível estabelecer que essa ironia tem marcado profundamente as estabilidades da sociedade.
    2.01 – “... Como porém, pedagogia paga mal...” (pag. 31)
    Esta citação remete bem a realidade vivenciada hoje nesse meio que não se paga muito bem pela profissão, que é a base da cidadania.
    2.02 – “... A eletrônica faz isso bem melhor...” (pag. 35)
    Esta citação remete a globalização inserida nas escolas pela tecnologia que a cada dia vem para tomar o lugar dos professores

    ResponderExcluir
  22. NESTA LEITURA FOI POSSIVEL NOTAR QUE A EDUCAÇÂO PRECISSA DE MUDANÇAS, E QUE NÃO E SÒ MUDAR OS OUTROS PROFISSIONAIS DA AREA, MAS A SI
    MESMO, BUSCAR CONHECIMENTO A TODO TEMPO,TEMOS QUE RESOLVER PENDENCIAS,APRENDER A APRENDER, ESTAR SEMPRE INOVANDO, FAZER NOSSOS PROPRIOS PROJETOS E COLOCA-LOS EM PRATICA,TER OUSADIA.


    2.1 " Aprendi que não se aprende apenas do que dá prazer, mas sobretudo do que incomoda profundamente".(pag.40) gostei muito que nesta citação ele deu este exenplo bem claro que nos pedagogas temos que aprender não apenas do que gostamos, isso deixa bem claro que a cada dia devemos buscar conhecimento e inovação,e que devemos ser persistentes ao busca-lo.
    2.2 " Aresistência à crítica, sobretudo à autocrítica, poderia ser devida, pelo menos em parte, à tendência à autodefesa. (pag 39)." Nesta citação remete a ideia que o professor deve aceitar a critica como construtiva e crescer com ela, e sempre se avaliar como frofissional,para que haja um crescimento, uma busca por melhorar a condição em que se encontrae aceita-la para o seu crescimento.

    Elza do nascimento batista
    2° Periodo Pedagogia
    19/03/2011 as 11:41

    ResponderExcluir
  23. A ideia Principal que o texto nos passa dentro de todos os paradigmas que para ser um bom pedagogo precisa-se questionar e ser quetionado, pois não basta e para sala de aula se mostrar para os alunos abri o livro e ler não.Precisar-se elaborar,pesquisas suas atividades, pois ali voce esta sendo avaliado todos os dias,Precisamos vencer o medo e dar direção as traformações com coragem e responsbilidade pedagogica.
    2.1 DEMO cita:A melhor maneira de avaliar não é a prova.(P 23) Acredito que não, pois há varios fatores avaliativos dentro da sala de aula que voce educador pode avaliar seu aluno como a sua participação e desempenho dentro da sala e sem contar que melhora o relacionamento entre o aluno e professor, pois e assim que o aluno interage com o professor e seus colegas.
    2.2 DEMO cita: O importante da critica esta em seu lado negativo,desconstrutivo. Sim pois aprendermos mais quando alguem nos critica, apredermos a nos valorizar e valoriamos o que temos pois daí agente vai ver a realidade de como ela é de verdade.
    Esse Livro e realmente uma obra.
    Mikaelly Mendes.
    2º Período de Pedagogia

    ResponderExcluir
  24. 1.0 o assunto é complexo e causa discuçoes sobre o tema.polêmico como não poderia deixar de ser, inferi todas as camadas da sociedade pois a educação está ou pelo menos deveria fazer parte de toda população.Envolve a política,o contexto histórico,enfim tudo que nos cerca.por isso é tão complexa! a falta de preparo por parte dos educadores o desinteresse do poder publico e a mediocridade de um povo acultural torna a educação um problema de " saúde publica" como mo proprio livro cita repetidas vezes"o que mais haveria de querer o liberalismo? um meio fácil de se propagar e se firmar! caindo assim por terra toda a vã filosofia da pedagogia " transformação social" sendo assim " quem muito prega a moral,mais dela precisa" quer ser inovadora mas não se inova.....e assim perdura por anos e anos....

    2.0 " a miséria pedagógica de nossos alunos é,sobretudo, o retrato da miséria pedagógica...da qual fazem parte também _ironicamente_ nossos professores".Essa citação me chamou bastante atenção pelo fato de ser direta e direcionada especificamente para os educadores o que me leva a concluir que diferentemente do que pensamos e dizemos por ai a "culpa" não é só de nossa politica neoliberal mas tambem dos professores se somos um pais analfabeto grande parte desse titulo e de responsabilidade deles por não aprenderam a aprender e nem ensinar os alunos a aprenderem não gostam de ser avaliados nem questionados e elaborar,pesquisar e aprendrer realmente é uma coisa muito dificl.

    Fiquei chocada ao iniciar a leitura do livro a utopia de uma educação transformadora como formação de opinião,as desesperadas tentativas do autor em mudar a pedagogia,ultrajar a educação e o banho de verdade sobre nossa educação e politica num contexto historico social,politico e economico bastante complicadoe tudo isso interfere diretamente na nossa educação.Me senti impotente! mas nada como um banho de realidade como no proprio livro cita varias vezes a acomodação de deixar tudo como estava antes é muito mais pratico do que se deixar avaliar, mudar e transformar ou pelo menos formar cidadãos!. Sendo assim ainda tenho esperança de poder contribuir a essa educação renovadora !"PARINDO " meus pupilos e fazendo com que eles sejam não apenas meros alunos mas sim grandes cidadãos.

    ResponderExcluir
  25. A partir da leitura desse livro constatei a dificuldade que a maioria dos professores tem de ensinar, pelo fato de que não sabem aprender, pois para tal e preciso pesquisar e elaborar, e em muitos casos falta o comprometimento de modo que preferem continuar com a aula de sempre, não buscam inovar deixando o termo "transformação social" ficar apenas nas palavras, observei tambem que os professores detestam ser avaliados apesar de fazerem isso em todo tempo.
    2.1"A pedagogia se habituou a falar alto, sobretudo a prometer a transformação historica, mas quando colocada contra a parede tudo o que sai e critica desconexa(pagina 26)"
    E muito facil criticar quando de fato quem critica e quem precisa de mudança, a maioria dos professores não sabem ensinar porque não sabem aprender, não aprendem porque não pesquisam por consequencia não elaboram, colocando em suas aulas conteudo meramente reproduzidos, fazendo com que os alunos não façam mais que reproduzir.
    2.2" O sistema não teme pobre que tem fome; teme pobre que sabe pensar; para saber pensar, entretanto, ha que virar a escola pelo avesso a começar pelo professor (pagina 27)
    O sistema esta ai mesmo oferecendo mil dificuldades para que a aprendizagem não aconteça, e a população continue ignorante, mas para que a educação aconteça deve-se começar uma mudança a partir do professor na busca pelo conhecimento para que saiba aprender e consequentemente sabera ensinar com excelencia, amei o livro.

    Hilana Santos Rodrigues
    2º periodo de Pedagogia

    ResponderExcluir
  26. POR MÁRCIA PEREIRA

    1. NESTA OBRA O QUE PODEMOS ENCONTRA NADA MAIS É DO QUE A REALIDADE ATUAL DO QUADRO DA EDUCAÇÃO EM UM PONTO DE VISTA CRÍTICO. NÃO ADIANTA QUERER MUDAR OS MÉTODOS EDUCACIONAIS SE OS PRÓPRIOS PROFICIONAIS DA ÁREA NÃO ADERIREM A ESSA MUDANÇA.
    O AUTOR TRAZ, DE FORMA CLARA, OS DEFEITOS DA EDUCAÇÃO; AS FALHAS DA APRENDIZAGEM. COM O OBJETIVO DE MOSTRAR ONDE REALMENTE ESTA A FALHA NO ENSINO BÁSICO. E SOBRETUDO, DESPERTAR MAIOR VALORIZAÇÃO DA PEDAGOGIA - DOS PEDAGOGOS.
    2.1. "TODA AUTOCRÍTICA É TOMADA COMO CAPITULAÇÃO [...] PREGAM QUE TODA EDUCAÇÃO PRECISA SER CRÍTICA, MAS ELES MESMOS A NEGAM EM SI MESMOS; PURO CONTO-DO-VIGÁRIO."(p.39)
    O TÍPICO 'FAÇA O QUE EU DIGO, MAS NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO' - OS EDUCADORES SAEM DAS UNIVERSIDADES CHEIOS DE PROJETOS PARA CONCRETIZAR, MAS AO SE DEPARAREM COM A REALIDADE VERÃO QUE NÃO BASTA TER IDÉIAS, É PRECISOQUE HAJA OUSADIA, CORAGEM. MESMOS TENDO IDÉIAS ÓTIMAS, NÃO OUSAM PRATICAR SEUA MÉTODOS EDUCACIONAIS.
    2.2. "EMBORA O CONHECIMENTO NÃO POSSA TORNAR-SE PANACÉIA, REPRESENTA HOJE A HIPÓTESE MAIS RELEVANTE EM TERMOS DE MUDANÇA, PARA O BEM E PARA O MAL."(p.67)
    TER CONHECIMENTO PODE SER MAIS DO QUE UMA CHAVE PARA A REVOLUÇÃO, PODERÁ TORNAR-SE UMA ARMA NEGATIVA SE FOR TOMADA PELAS PESSOAS ERRADAS. SENDO ESTAS, FUNCIONÁRIAS DO DINHEIRO E NÃO DA EDUCAÇÃO.

    ResponderExcluir
  27. Professores desmotivados, que não se atualizam nos novos métodos de ensino, não encintavam os alunos e nem estimulam-nos.
    Esses são a maioria dos professores de hoje. Eles não querem fazer uma especialização, cursos de aperfeiçoamentos e pensão que votar para uma sala de aula seria uma ofensa e assim se encontram acomodados.
    Os professores estão acostumados a avaliarem os alunos e não aceitam serem avaliados e criticados. Se a educação deixa a desejar, os professores não reconhecem que tem um pouco de culpa. Jogam a responsabilidades em cima dos governantes e até dos alunos.
    Professores e pedagogos tem por dever, nunca parar de estudar e procurar se adaptar as novidades. Colocar em pratica projetos pedagógicos, levar atrativos para sala de aula, coisas inovadoras e que chame a atenção dos alunos.

    “Para falar de transformação social é necessário, primeiro, estabelecer as condições da passagem radical. Não se trata de reforma, mexidas superficiais, ajeitamentos circunstanciais, mas de processo que atinja o centro do sistema e o coloque em xeque. (p. 62)”

    Para que aja uma verdadeira transformação social, os governantes não deveriam olhar para a sociedade com mais atenção somente em épocas de eleições, fazendo obras de ultima hora, entregando livros nas escolas, merendas e etc. A própria sociedade pode fazer um transformação em se mesmo, mas a transformação maior seria a feita pelas autoridades, porque eles recebem grandes verbas para isso.

    “Assumir a vanguarda. Para tanto, é preciso lutar com as mesmas armas: descontrução/reconstruçao do conhecimento, com a devida ética. (p. 95)”

    Os prfessores assumindo os seus erros, pegando todo o seu conhecimento e fazendo uma reciclagem, usando tecnicas informatizadas, estariam contriduindo para uma boa educação.

    Acadêmica: Luciene Martins

    ResponderExcluir
  28. PEDRO DEMO UTILIZA SUA VIDA DO CONHECIMENTO DA PEDAGOGIA NAS INSTITUIÇÕES ESCOLARES. O AUTOR NOS LEVA POR CAMINHOS CONTRADITÓRIOS E IRÔNICOS QUE PERCORREU EM MEIO AOS PROFESSORES DESTE BRASIL.
    NO LIVRO NOS DEPARAMOS COM MUITOS CONTOS DE VIGÁRIO QUE CLAMAM POR MUDANÇAS QUE REGATEM O PROFESSOR-ALUNO ENQUANTO SUJEITOS DE UM PROCESSO E FAZEDORES DE HISTÓRIA.

    NAS PÁGINAS DO LIVRO NÃO EXISTEM RESPOSTAS PRONTAS QUE SOLUCIONEM TAL QUESTIONAMENTO, PEDRO DEMO EM SUA INTELIGÊNCIA NOS LEVA AO MOVIMENTO PRÓPRIO DO SER HUMANO DE PENSAR, QUESTIONAR, PORQUE TODO SER HUMANO É UM SER DE QUESTIONAMENTO E DE PROTESTO E SE NÃO É PRECISA DESPERTAR PARA SER. PRECISA SAIR DE SEU MUNDINHO, QUE O EMBURREÇE E O TORNA IGNORANTE DE SI E DO MUNDO ENQUANTO ESPAÇO DE INTERFERÊNCIA.

    COMO DIZ O PROVÉRBIO: "EM CASA DE FERREIRO, ESPETO DE PAU"; INFELIZMENTE MUITOS PROFESSORES NÃO QUEREM MAIS BUSCAR NOVOS CONCEITOS, IDÉIAS, E COM ISSO NÃO TEM MAIS AQUELE ESFORÇO NA BUSCA DE CONHECIMENTOS. A MAIORIA SE ACOMODA, E QUEM SOFRE COM TUDO ISSO É TODO AQUELE QUE ESPERA DE UM PROFESSOR: ENSINAMENTOS. OS ESTUDANTES DESEJAM QUE CADA UM SEJA COMPROMETIDO COM A EDUCAÇÃO. (PAG.16)
    “TODOS DEFENDEM O PROJETO PEDAGÓGICO, MAS POUCOS - QUASE NINGUÉM - O TEM ELABORADO, RESULTANDO SEMPRE EM DISCUSSÕES ALONGADAS E INÚTEIS, TENDO COMO PASSO FINAL E CERTEIRO JAMAIS CHEGAR A BENEFICIAR O ALUNO, ATÉ PORQUE NÃO SE CHEGA A LUGAR NENHUM”. (P. 26) INFELIZMENTE MUITOS PROFESSORES TANTO DA REDE PÚBLICA COMO PARTICULAR NÃO ESTÃO ACOSTUMADOS A RECEBER CRÍTICAS, APENAS FAZEM CRÍTICAS AO GOVERNO, À ESCOLA, À DIREÇÃO E NUNCA NA MAIORIA DAS VEZES FAZEM POR ONDE MELHORAR O ENSINO. SÃO POUCOS OS PROFESSORES QUE OUSAM MUDAR, TRANSFORMAR, ALGO QUE VENHA BENEFICIAR O ALUNO E NÃO AO SISTEMA.

    Geizel Nascimento – Acadêmico de Pedagogia 2º Período

    ResponderExcluir
  29. Claudilene da Silva Oliveira19 de março de 2011 18:45

    O conteúdo do livro Ironias da Educação,reflete sobre a postura do professor no processo de avaliação e ensino.
    1.1"...poucos sao os professores que vivenciam o que falam,que transformam teorias em pratica(p.32).Muitos sentem-se excluidos pelo sistema educacional.Não pesquisam,não tem o hábito de ler e acham que a forma de como aprendeu é a mesma forma de ensinar.
    2.2"...nas periferias,é incrivelmente atrasado.Os professores são preparados em instituições que nada tem haver com as espectativas das novas geraçoes.
    Por nao terem tempo de estudar os professores procuram instituições que tem uma carga horaria menor,pois seu tempo para pesquisa é limitado.

    ResponderExcluir
  30. Rosilene Sales de Sousa19 de março de 2011 19:22

    A leitura desse livro serve de alerta para nós pedagogos em relaçao as mudanças que devem ocorrer na educação,não nos acomodando a pedagogia tradicional,mais buscando novos conhecimentos.
    1.1"Demonstrou-se que cuidando bem da aprendizagem do aluno de um lado e investindo no professor de outro é possível colher resultados significativos.(p.28)
    Isso quer dizer que quando o governo fornece uma especialização para o professor,ele está automaticamente fornecendo uma educaçao com qualidade total ao alunado.
    2.2"...os pedagogos não apreciem a critica negativa,porque inventaram _ a critica positiva,pois preferem elogios que evitam ter de mudar.(p.68).Isto quer dizer que o professor sendo elogiado ele acha que o seu trabalho vai bem.Se ele recebe uma critica o mesmo vai ter que refletir e mudar a forma como ele trabalha.

    ResponderExcluir
  31. A Ideia Principal que o autor relata no texto é Transformação social dentro da pedagogia, dentro de todos os paradigmas ser um bom pedagogo precisar-se questionar e ser questionado, pois não basta o professor e para sala de aula se mostrar para os alunos abri o livro e ler não, ele precisar fazer seu papel como pedagogo que e elaborar, pesquisar e inova-se dentro da atualidade buscando assim um bom relacionamento entre professor e aluno,E preciso vencer o medo e da direção as transformações com a cara e coragem com responsabilidade.
    2.1 DEMO cita: A melhor maneira de avaliar não e so a prova.. (P 23)Acredito que não, pois tem varios criterios avaliativos que o professor tem de avaliar seus alunos dentro da sala de aula como: sua participação desempenho e criatividade,assim buscando desenvolver seu papel de aluno.
    2.2 DEMO cita: O importante da crítica está em seu lado negativo, desconstrutivo.
    Sim, pois aprendermos a nos valorizar quando somos criticados perante a todos e a todas, e veremos o quanto precisamos mudar dentro da sociedade.
    Mikaelly Reis Mendes
    Pedagogia 2° Período

    ResponderExcluir
  32. A obra menciosa muito sobre pedagogia transformadora,educaçao de qualidade mais e preciso quebrar grandes paradigmas dentro do ensino para poder conseguir esse objetivo,realmente dar grandes saltos e buscar uma pedagogia inovadora ,ou seja,inovar de verdade pois somos capazes de grandes mudanças.
    1-"A IDEIA, ENTRETANTO ERA DE MOSTRAR QUE AVALIAÇAO FAZ PARTE INTRISECA DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM..."(pag 23). Na verdade essa e uma maneira do professor perceber se realmente o aluno estava aprendendo,pois desde sua entrada em sala sua participaçao como fator fundamental e saida ele estava sendo avaliado com isso muitas vezes nao era preciso a aplicaçao de prova.
    2-"MOSTROU-SE UM NIVEL BAIXISSIMO DE APRENDIZAGEM, DANDO A ENTENDER QUE AS CRIANÇASEM GRANDE PARTE,PERDEM TEMPO NAS ESCOLAS".(PAG36).Esse e um dos problemas serissimos ,pois lugar de criança e na ESCOLA APRENDENDO e nao perdendo tempo.De quem e a culpa? Conserteza nao e so do professor.muitas escolas nao querem nem saber se os alunos estao aprendendo,ela tem que funcionar.entao a familia tem papel fundamental nesse processo de aprendizagem,com isso escola e familia tem que andar juntas. (claudia ferreira 2 periodo de pedagogia)

    ResponderExcluir
  33. Pedro deixa bem claro no livro que o nosso país precisa de uma transformação social, " Na pedagogia toda politica esta comprometida socialmente o compromisso mais central não é como uma teoria, que serve apenas como instrumento analítico, mais como a aprendizagem do aluno" Nem todos os professores preocupam-se com a aprendizagem do aluno e sim com a sua profissão e seu bem está." A pedagogia não pode inovar, porque ela mesma representa postura totalmente covarde diante da inovação". Educadores estão mais preocupados com a sua oposição social do que a aprendizagem, Queremos outra pedagogia que exergue o futuro e que almeija uma transformação social, politica economica e em especial uma transformação na area da educação do nosso país.
    Karla Gomes
    2° período Pedagogia

    ResponderExcluir
  34. MAYANE

    NO LIVRO O AUTOR RELATA O LAMENTAVEL ESTADO DA PEDAGOGIA.O DESPREPARO DOS PROFESSORES ATUANTES A MA FORMAÇAO ACADEMICA REPLETA DE FACILIDADES O COMODISMO DOS PROFESSORES ENFIM O MEDO DE MUDAR O MEDO DE SE AUTO CRITICAR.

    2.1''NAO ESTAO HABITUADOS A APRENDER PG 16''PREFEREM ACOMODAR-SE ACHANDO QUE A BAGAGEM QUE TEM JA E SUFICIENTE QUE NAO PRECISAM MAIS APRENDER QUEM NECESSITA DISSO E O ALUNOE E DESTA FORMA A EDUCAÇAO CONTINUA LAMENTAVEL.
    2.2''NAO HA COISA QUE O PROFESSOR DETESTE MAIS DO QUE SER AVALIADO pg36''estas poucas palavras deixam claro a precariedade do ensino pois quem esta na sala de aula para instruir avaliar nao gosta que o façam isto,portanto mostra a sua pouca bagagem a sua insegurança a sua falta de competencia para atuar. MAYANE DOS SANTOS SILVA

    ResponderExcluir
  35. Vemos neste livro a pedagogia de uma forma diferente da que imaginavamos, quando para mos pra pensar nas palavras de Pedro Demo podemos analisar que são totalmente verdadeiras, ondew o professor tem medo de viver a pedagogia, teme as mudanças, só dala nelas mais não as coloca em prática.
    2.1 "a educação é o principio decisivo da mudança, com a vantagem de portar em si, se bem entendida, também o príncipio ético-político". ( pagina12) Vemos que a educação é o inicio da mudança e que nela é visivelmente para todos a ação da politica, e a precariedade em que ela se encontra hj e a mudança tem que ocorrer.
    2.2"a universidade permanece onde sempre esteve, contemplando impassível a cena, por cima, sem perceber que está totalmente por baixo". ( pagina 13) Vemos que Pedro Demo relata mto bem a universidade que como qualquer outra instituição tem suas falhas, e que a acda dia tem inovado o sistema educacional, implantando novos cursos e aulas dinÂmicas...
    LUciana Oliveira
    2 Período de Pedagogia

    ResponderExcluir
  36. O autor relata com muita clareza sobre como e trata a educação do mundo pós-moderno como neoliberalismo que e gerada atraz da globalização da tecnologia e também podemos cita da educação .Assim podemos relata que tudo deve ser padronizado,globalizado.se não globalizamos os conduta dos professores diante a uma avaliação .
    "(...)Pouco vale criticar sem propor; quando se exige proposta e percebe-se que não se tem, experimenta-se o desespero de quem se sente nu. A pedagogia se habituou a falar alto, sobretudo a prometer a transformação histórica, mas, quando colocada contra a parede, tudo que sai é crítica desconexa, exacerbação mental, gritaria desorganizada; todos defendem o projeto pedagógico, mas poucos - quase ninguém - o tem elaborado, resultando sempre em discussões alongadas e inúteis, tendo como passo final e certeiro jamais chegar a beneficiar o aluno, até porque não se chega a lugar nenhum.. "(...) (p. 26) importante esclarecer que esses contos servem de espelho do sistema educacional vigente em muitas partes do país, pois poucos são os que ousam mudar,também podemos fala que ousam transformar o que se tem em algo melhor, algo que beneficie o aluno e não ao próprio sistema. Poucos são os professores que vivenciam o que falam, que transformam teoria em prática e, depois, sua prática em teoria.
    "(...)Em meio a tamanhos conflitos, o recuo foi crescendo, até que, em certo momento, "sobrei". Fomos do céu ao inferno, no prazo de um ano. A convicção de que é preciso mudar foi menos forte do que o medo de mudar. Os professores, por sua vez, foram mostrando as resistências clássicas "(...). (p. 44) Em contrapartida, interessa ao neoliberalismo que os cidadãos continuem sem formação adequada, sem questionamentos. Interessa, sim, ao neoliberalismo que as pessoas tenham poder de consumo de tecnologia, não de conhecimento, não de autonomia.
    Academica:Sagma

    ResponderExcluir
  37. Quero aqui parabenizar o grupo pelos inúmeros pontos que foram ressaltados como forma de reflexão sobre um sistema educacional que temos e que hoje encontra-se inserido na estagnação, e pior de tudo, culpando a muitos e nunca a ele mesmo. Quero aqui parabenizar a releitura feita pelo aluno Geiziel Nascimento e pela Zaine,que, colocam um tom de pessoalidade no seu discurso, deixando claro o envolvimento com a causa e com isso incomodando-se com toda essa panorâmica. Tal situação nos leva crer numa posivel mudança, pois as grandes mudanças partem princiapalmente de reflexões dessa natureza.

    ResponderExcluir
  38. MARIA FERMNANDA FERNANDES GOMES

    1. Ao ler a obra do autor Pedro Demo, percebi que a idéia central do autor, é uma crítica para educação, chamando a atenção dos leitores, (alunos, professores, governos...), para nos mostrar como nossa educação está banalizada, como é precária em todas as áreas, com outras palavras por diversas vezes autor pede socorro! Não deixem a educação morrer ou continuar como estar, precisamos mudar a cara da educação do Brasil precisamos virar ela pelo o avesso, é preciso uma transformação histórica.

    2. A citação a seguir me chamou muito atenção e é umas das partes do livro que vai ficar gravado na minha memória pra sempre. “nada favorece mais ao neoliberalismo do que o ignorância popular....o sistema não teme pobre que tem fome; teme pobre que quer pensar” está citação é de se parar para pensar, quem desses dois é mais fácil de se vender, quem sai mais “barato” pro governo o faminto o que pensa, que analisa? Com certeza saciar a fome, sai bem mais em conta.

    Outra citação que me chamou atenção “Inovar não é melhorar aula, mas superá-la.” Entendi que para melhorarmos a aula deixa de ser o centro, o eixo, e passa ser uma janela, uma ferramenta buscar cada vez mais a aprendizagem.

    ResponderExcluir
  39. A pedagogia e as suas verdades é o que podemos perceber nesse livro, onde o autor consegue detectar todas as falhas no sistema educacional e também no professor que tem medo da mudança.
    2.1"os professores são o que os alunos jamais deveriam ser; desconhecem o esforço reconstrutivo que a aprendizagem supõe" ( pagina 16) Podemos perceber que para o autor o aluno não deve ser igual ao professor, ele tem que almejar sonhar mais, pois ultimamente o professor tem apresentado medo em meio as mudanças que tem acontecido.
    2.2"a pedagogia se habituou a falar alto, sobretudo a prometer a transfortmação histórica, mas quando colocada contra a parede, tudo o que sai é critica desconexa, exacerbação mental, gritaria desorganizada" ( pagina 26). Vemos aqui nessa citação a realidade, quando professores se juntam só escutamos barulho, brigas....






    gessica tuane...

    ResponderExcluir
  40. Sagma, Rosilene, muito bom os comentários de vocês. Fico feliz em ver a relação que ja estamos conseguindo fazer da educação e suas mazelas com a sociedade e seus objetivos. Essa reflexão para o pedagogo é de suma importancia. É exatamente esse olhar que NÃO nos permitirá chegar na inércia e ficarmos apenas no discurso.

    ResponderExcluir
  41. A pedagogia e as suas verdades é o que podemos perceber nesse livro, onde o autor consegue detectar todas as falhas no sistema educacional e também no professor que tem medo da mudança.
    2.1"os professores são o que os alunos jamais deveriam ser; desconhecem o esforço reconstrutivo que a aprendizagem supõe" ( pagina 16) Podemos perceber que para o autor o aluno não deve ser igual ao professor, ele tem que almejar sonhar mais, pois ultimamente o professor tem apresentado medo em meio as mudanças que tem acontecido.
    2.2"a pedagogia se habituou a falar alto, sobretudo a prometer a transfortmação histórica, mas quando colocada contra a parede, tudo o que sai é critica desconexa, exacerbação mental, gritaria desorganizada" ( pagina 26). Vemos aqui nessa citação a realidade, quando professores se juntam só escutamos barulho, brigas....




    géssica tuane...

    ResponderExcluir
  42. Maria Fernanda, com certeza essa fala do autor de que "o sistema teme o pobre que sabe pensar" deixa em nós até uma certa impotência, pois a partir dessa leitura você se percebe como mais um em um sistema, e que ingenuamente você colabora para que tudo permaneça como está. No entanto, quando "acordamos" passamos a não somente ver (habilidade da visão) mas olhar de fato, de forma critica e questionadora. E é isso que devemos conservar em nós. Parabéns.

    ResponderExcluir
  43. Demo,P. faz várias críticas à pedagogia, mas a que mais me chamou aternção foi a trasformação pedagógica que tanto se fala e nada se faz.Talvez pelo fato de ela ter virado polítca, e sabemos que não é de interesse de nenhum governo ver o deslanche da educação.
    "[...]É FUNDAMENTAL MANTER ATITUDE CRÍTICA DIANTE DO CAPITALISMO, DO ESTADO, DO GOVERNO E DOS BUROCRATAS, MAS MUITO MAIS FUNDAMENTAL, É GARANTIR A APRENDIZAGEM DOS ALUNOS, QUE DEVERIA SER O PONTO DE PARTIDA E DE CHEGADA."
    Relata a importância da aprendizagem que deveria estar sempre em primeiro plano, pois, é algo que todos precisam independentemente de classe, no entanto não é o q acontece.
    "[...]O PREÇO DO CONHECIMENTO É A PERDA DA INOCÊNCIA, OU SEJA, NÃO SE PODE MAIS DEIXAR DE VER O MUNDO E A NÓS MESMOS CRITICAMENTE[...]"
    Essa citação mostra que para adquirirmos uma coisa às vezes temos que abrir mão de outras, eé exatamente isso que a pedagogia teme. Tem medo de inovar e perder suas características tradicionais, mas isso é necessário para se ter inovação.

    ResponderExcluir
  44. No livro o autor trata das grandes ironias estabelecidas na educação onde muitos temem o processo de transformação, e para fugir desse processo fazem varios discursos sobre mudanças criticando as outras diversas áreas e esquecem de estabelecer coerencia em seus discursos. Contudo a Pedagogia da Transformação fica abandonada devido não ser colocado em prática as teorias que ela tanto prega, se tem então uma das grandes irronias, os profissionais da educação são os que menos sabem aprender com isso acabam prejudicando os alunos e toda a educação fica comprometida, os professores não sabem receber criticas consideram as como ofensas e sempre que são crticados só sabem se auto defender, não consideram como criticas construtivas e passam a estabelecer processos maquiados para tentar enganar os demais e a si mesma que hove alguma mudança, mas que mudança seria essa que a educaçao não tem mais tanto imporancia como o mercado, pois hoje é o mercado que dita como a educaçao deve agir não ao contrario pode se observar outra grande ironia não e a educacão que muda o mercado mais sim o mercado tem mudado a educaçao os seus parametros,e os professores esquecem que são os parteiros da cidadania popular e que são facilitadores do conhecimento se deixao levar pela desvalorizacão socioeconomica e temos como resultado o caos vivido hoje no sistema educacional.
    2.1 "...Não é dificil melhorar a aprendizagem do aluno-temos teorias e experiências de sobra que apontam nessa direção..."(p.28)essa citação motra que temos armas suficientes para mudar de verdade essa situaçao de caos vivenciado na educaçao DEMO não mostra só as irronias e mudanças que nuncam ocorreram, mas assima de tudo mostra como e possivel realizalas com sucesso e sair dessa utopia que foi gerada por medo de mudaças.
    2.2"...Que mais haveria de querer o neoliberalismo?..."(p.98)essa citação esta em varias páginas do livro ,DEMO cria em nos com tal interrogaçao diversas opinioes que só conseguimos entender com clareza o que significa ao termino da leitura fazemos então uma junçao de tudo apresentado na obra e constatamos o obvio que a pedagogia necessita deixar de ser oferecedora de inovaçoes e passar a executar as inovaçoes e ser exemplo da capacidade de inovaçao.
    KATHERYNNE SANTIAGO.

    ResponderExcluir
  45. Ironias da Educação é um livro que aborda fatos em torno da pedagogia, do professor e das condições de educação que ainda é utilizada nas instituições. Na obra Pedro Demo faz uma crítica a pedagogia, que se diz ser transformadora, mas que na verdade chega a entrar em contradição com tudo aquilo que a mesma questiona em suas teorias de transformações. O autor diz ainda que a pedagogia fala tanto em mudanças e inovações, que ao mesmo tempo, teme em se tratando de coloca-lós em prática. Em vista disso, a pedagogia por falar tanto em transformações, evita ser ttransformada deixando muito a desejar. 2.2 "Não faz sentido, pois, reformar a pedagogia, precisamos de outra, muito diferente; a crítica, pois, não é contra 'a pedagogia', mas contra 'esta pedagogia'.(p.38)". Nesta citação, podemos perceber que a crítica é feita não para toda a pedagogia em geral,mas contra a pedagogia aplicada hoje, isso pelo fato de que nos últimos tempos a educação pedagogica está deixando muito a desejar e sendo desacreditada por muitos. Para que essa idéia mude é necessário que a forma de educação pedagogica seja transformada radicalmente. 2.2 "[...] é possível mudar e que, na mudança, a aprendizagem dos alunos pode subir incrivelmente.(p.50)". Podemos ver que a educação pedagogica ainda pode ser mudada. As mudanças necessarias que ocorrem na pedagogia ajuda muito no desenvolvimento e na forma de aprendizagem dos alunos. Ainda se tem muito a fazer pela educação pedagogica, mudanças que irão ajudar professores e alunos a aprenderem juntos, desenvolvendo assim uma nova educação pedagogica. Lorena Lima Gomes

    ResponderExcluir
  46. DEMO nos relata que a Pedagogia pode sim ser transformadora desde que os Profissionais da Educação tenham consciência que "MUDANÇAS" são necessarias, não podemos viver no comodismo, muito menos ficar prezo a um modelo de Educação defazado.É necessáro haver uma autocrítica, uma auto avaliação,quebrar barreiras e procurar fazer a diferença.
    "(...) são muito mal formados os profissionais da formação" pag. 20, ou seja a má formação dos professores é preocupante pois afeta diretamente a aprendizagem do aluno, que sem conhecimento não tem aprendizagem, por isso que a grande desvalorização nessa área.
    "(...)a idéia de assumir os Professores como "Trabalhadores do Conhecimento" pag.85
    A Pedagogia tem que buscar esse horizonte, resgatar a Pedagogia crítica, para construir conhecimentos, formar novas gerações e formadores de opinioes.

    ResponderExcluir
  47. POR MÁRCIA PEREIRA SILVA
    ACADÊMICA DO 2º PERÍODO DE PEDAGOGIA

    1. NESTA OBRA O QUE PODEMOS ENCONTRA NADA MAIS É DO QUE A REALIDADE ATUAL DO QUADRO DA EDUCAÇÃO EM UM PONTO DE VISTA CRÍTICO. NÃO ADIANTA QUERER MUDAR OS MÉTODOS EDUCACIONAIS SE OS PRÓPRIOS PROFISSIONAIS DA ÁREA NÃO ADERIREM A ESSA MUDANÇA.
    O AUTOR TRAZ, DE FORMA CLARA, OS DEFEITOS DA EDUCAÇÃO; AS FALHAS DA APRENDIZAGEM. COM O OBJETIVO DE MOSTRAR ONDE REALMENTE ESTA A FALHA NO ENSINO BÁSICO. E SOBRETUDO, DESPERTAR MAIOR VALORIZAÇÃO DA PEDAGOGIA - DOS PEDAGOGOS.
    2.1. "TODA AUTOCRÍTICA É TOMADA COMO CAPITULAÇÃO [...] PREGAM QUE TODA EDUCAÇÃO PRECISA SER CRÍTICA, MAS ELES MESMOS A NEGAM EM SI MESMOS; PURO CONTO-DO-VIGÁRIO."(p.39)
    O TÍPICO 'FAÇA O QUE EU DIGO, MAS NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO' - OS EDUCADORES SAEM DAS UNIVERSIDADES CHEIOS DE PROJETOS PARA CONCRETIZAR, MAS AO SE DEPARAREM COM A REALIDADE VERÃO QUE NÃO BASTA TER IDÉIAS, É PRECISO QUE HAJA OUSADIA, CORAGEM. MESMO TENDO IDÉIAS ÓTIMAS, NÃO OUSAM PRATICAR SEUS MÉTODOS EDUCACIONAIS.
    2.2. "EMBORA O CONHECIMENTO NÃO POSSA TORNAR-SE PANACÉIA, REPRESENTA HOJE A HIPÓTESE MAIS RELEVANTE EM TERMOS DE MUDANÇA, PARA O BEM E PARA O MAL."(p.67)
    TER CONHECIMENTO PODE SER MAIS DO QUE UMA CHAVE PARA A REVOLUÇÃO, PODERÁ TORNAR-SE UMA ARMA NEGATIVA SE FOR TOMADA PELAS PESSOAS ERRADAS. SENDO ESTAS, FUNCIONÁRIAS DO DINHEIRO E NÃO DA EDUCAÇÃO.

    ResponderExcluir
  48. IRONIAS DA EDUCAÇÃO
    Mudança e Contos Sobre Mudança
    Pedro Demo

    Fale-se muito sobre mudança, na verdade essa palavra virou uma espécie de estereótipo na área educacional. Entretanto pouco se tem feito para que realmente aconteça essa mudança, vivenciamos vários períodos históricos sociais e não devemos negar que avançamos um pouco mesmo que a passos de “tartaruga” a verdade é que hoje temos mais tecnologias, metodologias inovadoras e o irônico é que ainda lutamos para deixar de lado velhos estigmas.
    Passamos da educação bancaria para o construtivismo e ainda temos os alienados sociais em vários segmentos da sociedade e a escola abriu um ministério prega-se mudança, inovação, gestão democrática e o que vemos são uns poucos “gatos pingados” como sempre sendo exceções. Esse talvez seja o problema nos acostumamos a sonhar com o trabalho de poucos ao invés de nos unirmos para termos o todo no lugar da metade.
    A formação pedagógica velho e conhecido tema nos debates na área educacional é um dos requisitos essenciais para a mudança. Educadores comprometidos não apenas com uma formação básica quando tem, mas com uma preparação diária continua é um dos pilares, pois quem tem uma boa formação está apto as criticas e as discussões reflexivas para melhorar a práxis pedagógica.
    Receitas prontas? Quem possuir uma varinha mágica que resolva os inúmeros entraves educacionais que se apresente. A educação apesar dos impasses ainda é a fonte de transformação quem sabe pensar domina, essa é a grande questão temos um sistema que beneficia a poucos, saímos da educação elitista nos livros de historia por que na realidade vivemos uma falsa ilusão como uma diferença essa mudança agora é mais acessível, precisamos sim de educadores, educandos novos Paulo Freires que não sejam exilados contribuindo mais lá do que cá e Tiradentes que não precisam se enforcar por uma causa maior precisamos mesmo é tirar a forca para começarmos finalmente a respirar.
    ( LEONORA ALVES SIMÃO TROVÂO 2° Periodo de Pedagogia)

    ResponderExcluir
  49. SIONE_CUSTODIO@HOTMAIL.COM20 de março de 2011 15:39

    O livro gira em torno de uma pergunta que intriga, questiona e busca possíveis respostas: Que mais haveria de querer o neoliberalismo?
    Será a Pedagogia, corpo docente e discente presa fácil da nova roupagem neoliberalista, globoplanetarista e porque não dizer neocolonizadora?
    Nas páginas do livro não encontraremos respostas prontas que solucionem tal questionamento, Pedro Demo em sua sapiência nos conduz ao movimento próprio do ser humano: pensar, questionar, porque todo ser humano é um ser de questionamento e de protesto e se não é precisa despertar para ser. Precisa sair de sua hibernação que o embrutece, o emburreçe e o torna ignorante de si e do mundo enquanto espaço de interferência."[...]quem aprecia aprender , precisa saber que erra e que o erro é melhor corrigido pela critica [...]"ele mostra que aprendemos quando erramos, isso nos leva a um aprendizado, a uma superação de criticas ."[..]o modismo só se estabelece onde onde a capacidade de questionamento é mediócre[...]"a incapacidades dos professores de busca sua auto avaliaçao pois e mais facil avaliar do que ser avaliado ,eles colocam a culpa no sistema e nada fazem para mudar .

    sione custodio da silva

    ResponderExcluir
  50. O que se pode entender é que o desejo de mudança na educação é almejado por todos, porém é o que menos acontece “ A pedagogia fala todo dia –toda hora”, em transformação social(P.11) essa pedagogia transformadora deve acontecer em primeiro lugar nas suas próprias ironias.
    2.1 O senso crítico na educação é maior que a própria educação , fala-se de estimulo a alunos, como se fosse possivel em meio a tanto despreparo ou descasso para com aqueles que exirge mais de um governo, que tem o objetivo de reprimir o crescimento educacional. Como objetivo de manter em panos morno o que se faz com esse poder aquisitivo.
    2.2 O papel do professor é tipicamente maiêutico, (p. 49 ) é visto pela sociedade que o papel principal da educaçao deve ser do professor, e que é um equivoco muito grande, o profesor existe para facilitar a aprendizagem, cabe ao governo investir mais, para que exista esse crescimento.
    BY: LUCIANA CASTRO DA SILVA

    ResponderExcluir
  51. A idéia central do livro é levar o educador a aprender para que possa ensinar, e usar a bene-
    fício da educação,porque quando ocorre o apren-
    dizado acontece mudanças e inovações, porém nem
    todos buscam isso, acham que já sabem tudo, não
    criticam e não querem ser criticados, não inovam
    por medo, e se acomodam.
    Demo P. "Desconhecem o que é aprender.(P.16)"
    A reconstrução é uma idéia secundária, pois
    nada deve ser definitivo na educação, ela sem-
    pre se renova mas para isso devemos ter cora-
    gem de desconstruir para fazer a reconstrução e
    corrigir os erros.
    Outra idéia secundária é o resgate do pro-
    fessor.
    Demo P."Urge, pois,resgatar o professor.Qual-
    quer crítica a ele endereçada só pode ter esse
    objetivo.(P.78)"
    É fácil críticar, apontar culpados do fracas-
    so escolar,mas o que queremos é procurar solu-
    ções e uma delas é resgatar o professor, dando
    apóio,investindo na estrutura e formação ade-
    quada para a realização de um bom trabalho.
    Welma Feitosa dos Santos
    Pedagogia 2º Período

    ResponderExcluir
  52. 1.O Autor cita claramente sobre a revolução crítica na educação, na verdade a pedagogia transformadora somente irá acontecer quando a escola deixar de ser um campo de resistência, resistência tal que tem como autor o próprio professor.
    2.1 "(...) mas a escola continua a mesma(...)" DEMO, P(pag 12)Essa dura realidade permanence anos após anos, infelizmente o próprio educador não usa o conhecimento adquirido para que no âmbito educacional ocorra uma transformação, simplesmente porque transformação requer trabalho, e é justamente isso que eles não querem, preferem ficar estagnados do que mudar o que já está pronto( modelos e técnicas ultrapassados)isso se torna bastante cômodo para eles.
    2.2 "(...)como diz o provérbio: " em casa de ferreiro, espeto de pau"...(pag 16)Que grande paradoxo, ora, se a escola é o lugar de adquirir conhecimento, ou seja aprender/ensinar, porque os professores não conseguem aprender?o que estão ensinando então?, por essas questões, encontramos a grande dificuldade de não conseguimos gerar uma transformação educacional, e o que tanto falam de pegagogia inovadora, na verdade não passa de uma pedagogia mascarada.

    Jane Gomes 2º periodo de Pedagogia

    ResponderExcluir
  53. 1. O livro trata da resistência dos professores às mudanças, principalmente em razão do temor de não estarem preparados para tal transformação.
    2.1 “Trabalhei muitos anos num sistema de educação pública, primeiro estadual, depois municipal, com apoio extraordinário de uma filósofa-educadora de dentro do sistema, que me deu a oportunidade de pensar e fazer propostas pertinentes, em um processo de aprendizagem pessoal notável”. (p. 29) É inquestionável a relevância da opinião do professor no processo de transformação. É ele quem encara as dificuldades diárias e convive com os principais destinatários das mudanças.
    2.2 “Transformar é termo forte. Implica, no mínimo, passar para o outro lado”. (p. 59) Essa expressão significa mudança, a qual faz diferença na vida de toda sociedade. É imprescindível que o professor se dê conta de que é a educação que permite essa transformação social. Sendo ele um elemento essencial nesse contexto.
    Célia Eila Pires de Sousa

    ResponderExcluir
  54. PALLOMA DA SILVA FREITAS
    2ª periodo de pedagogia

    O livro valoriza a formação ética do educando e ressalta a importância da responsabilidade ética dos professores e professoras no exercício da tarefa docente. Principalmente quando ele coloca que é preciso respeitar os limites do educando, para aproveitar melhor suas experiências e ter um resultado mais proveitoso na construção do conhecimento. Ele explica a própria teoria da educação do homem, destacando suas deficiências.

    1. "ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo”. Nesta citação, o autor denuncia toda a opressão da educação, ele critica o pensamento no qual se afirma que o estudante não sabe de nada, apenas recebe conhecimento daqueles que julgam-se sabedores de tudo.

    2. “... não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, na ação reflexiva”. Novamente o autor retrata a opressão da educaçao, só que desta vez enfatizando a forma como os alunos são forçados a calar diante de certos educadores que nao permitem questionamentos. Ele vem dizer que para se aprender é necessário ter voz e não apenas ouvidos.

    ResponderExcluir
  55. Na obra Ironias da educação, o autor Pedro Demo questiona os pedagogos em pensar que a Pedagogia do século é transformadora. Porém para assim seja transformação social, os mesmos deverá transforma a si mesmo. Com base neste questionamento a pedagogia diz ser inovadora, mas não se inova (Pedro Demo Ironias da Educação pág.12). Como ocorrerá a mudança? Além disso, o autor aponta questionamentos como: a pedagogia não admite ser avaliada e criticada negativamente. No entanto estes dois pontos revelam o problema da atuação da mesma, pois os pedagogos são orgulhosos a não aceitarem a autocrítica. Isto infere que os profissionais de educação ainda não sabem aprender acomodados com o mau sistema empregado na educação. Fato observado é nos projetos elaborados nas escolas no intuito de transformação, por vias das dúvidas muitas vezes ficam somente na teoria, ou seja, esboçado no papel.
    2.2 “... quem aprecia aprender, precisa saber que erra e que o erro é melhor corrigido pela crítica. É preciso escutar posições divergentes.”(pág. 34) Uns dos notáveis problemas da pedagogia são que os profissionais de educação não aceitam a crítica negativas, por pensarem estarem sempre corretos . Mas, porém isto não é real, aqueles que realmente são mestres sabem ouvir a autocrítica para melhorar seus conhecimentos.
    “... problemas não tinham condições de fazer o aluno aprender, em primeiro lugar porque não sabiam aprender...” (pág. 36) O fragmento revela que o professor não sabe fazer o aluno aprender por que só dão aulas, não interagem com os alunos fazendo com que os mesmo utilizam a crítica para a aprendizagem, assim como os professores também não admitem a autocrítica.

    ResponderExcluir
  56. O autor ressalta que os professores de hoje temem as mudanças ocorridas dia a dia na educação, e avalia também a postura dos professores quanto este fica na posição de aluno. E diante da grande globalização da tecnologia e da educação é importante que os professores se mantenham atualizados de todas as inovações ocorridas em termos de educação.
    DEMO, P."...o processo de formação da autonomia do aluno exige à presença do professor...(P.87)"
    È importante que o aluno tenha o professor como exemplo, para que ele possa formar suas ideias, e reconhecer a importância do relacionamento do professor com o aluno, já que o professor é um facilitador para o aprendizado do aluno e para que o mesmo adquira sua própria autonomia.
    DEMO, P. “...para superar o circulo vicioso,segundo o qual má formação existe em função do baixo salário e vice-versa ,resta esperar que a iniciativa mais correta venha dos próprios professores...(pág.83)"
    Nesta citação Demo relata sobre a os desafios que o profissional de pedagogia enfrenta, e que cabe a ele próprio a mudança desse conceito, e que o importante é que a pedagogia tenha a sua merecida atenção , fazendo com que os profissionais sintam-se valorizados e motivados na sua escolha. joselita carvalho oliveira

    ResponderExcluir
  57. 1-O livro relata que os profissionais da educação, por veses, são os que menos sabem aprender, onde ele acham que ja sabe de tudo, e não procura inovar, não aceitam ser questionado, e usam da pedagogia antiga, onde so o professor que sabe e o aluno está ali pra aprender, nçao tem aquela troca de conhecimento.

    2- internalizaram a idéia de que já aprenderam o que tinha para aprender (p. 17) : os professores acham que já sabem de tudo,são formados e por isso não aceitam está errado, e nem se quer uma opnião de algum aluno.
    - a qualidade da escola depende, em primeiríssimo lugar, da renovação dos professores (p.25) : depende porque, os professores em certos casos foram ensinado de um jeito e para eles o certo só seria aquele, e por isso eles não procuram ensinar de uma maneira mais proveitosa, e que tenha mais rendimento a aula .
    Petúlia Pereia lima

    ResponderExcluir
  58. Na minha visao a ideia principal do livro esta no fato de que: fala,fala-se em mudanças mas como sempre ,fica apenas na teoria,alerta nos de que precisamos mudar de fato na pratica sairmos do comodismo e agirmos nao importando a quem esta imcomodando-se, o importante e mudar para melhor.
    2.1''COMO REPETE MUITAS VEZES DAMASIO, O PREÇO DO CONHECIMENTO E A PERDA DA INOCENCIA[...]pg67''esta frase me chamou bastante atençao, pois adquirindo o conhecimento passamos a olhar tudo diferente ,passamos a questionar, porque isso porque aquilo e isso acaba imcomodando muitos que nao querem que a educaçao avance e corre se o risco de pagar o preço pelos questionamentos, o preço por querer mudar.
    2.2''SE NADA HOUVER PARA DESCONSTRUIR, TAMBEM NADA HAVERA PARA MUDAR pg68''como o autor cita evitam as criticas porque elas sao desconstrutivas,sendo assim preferem continuar na mesmice fingindo que esta tudo bem pra evitar a mudança,sendo que as criticas sao necessarias tanto as positivas como as negativas,pois boa a educaçao nao esta. Entao precisa-se mudar,desconstruir para obter algum avanço.MAYANE DOS SANTOS

    ResponderExcluir
  59. Bons comentários do grupo. Vale ressaltar sobre o medo que a Pedagogia possui de sair de cena diante de tantas inovações. No entanto, o educador sempre, em qualquer situação social, terá o seu espaço se ele se permitir ser criticado e com isso mudar junto com o movimento social. Obsoleto será aquele que não se permitir aprender a aprender.

    ResponderExcluir
  60. Neste livro são abordadas questões polemicas de uma "Pedagogia Transformadora" de que mudanças necessitam acontecer, mais ficam só na teoria, pois temem essa inovação, o comodismo a falta de autocrítica faz com que se prendão a um modelo de Educação defazado.DEMO P.(...)SÃO MUITO MAL FORMADOS OS PROFISSIONAIS DA FORMAÇÃO" pag.20 ou seja,a má formação dos Professores é um dos fatores mais preocupantes, comprometem o aprendizado dos alunos pois quem não tem conhecimento não tem aprendizado daí vem a desvalorizaçao da classes.
    DEMO P."(...) A IDÉIA DE ASSUMIR OS PROFESSORES COMO TRABALHADORES DO CONHECIMENTO" pag. 85
    A Pedagogia tem que buscar esse horizonte, resgatar a Pedagogia Crítica para construir conhecimentos, formar novas gerações e formadores de opinião.
    ACADEMICA: Amanda Fernandes

    ResponderExcluir
  61. ANA LUCIA DA COSTA PINHEIRO
    BOA NOITE......
    o livro mostra a transformacção social que exister mais não queremos aceitar a auto critica s e analise a pedagogia colocando em cristica o curricilo dos professores e avliando os metodos e e ensino dos prodessores, mostrando que estão formando professores com desvalorização nao so de conhecimento para populaçao de classe social baixa ou seja pobre.
    O governo e especializado em atrapalhar a educação popular usufluindo da pobreza familiar.A qualidade dos professores depedem da removação e procupação em desafios de apremdizazem.

    ResponderExcluir
  62. Ironias da Educação, escrito pelo autor Pedro Demo, nos esclarece as falhas e deficiências da Pedagogia, incluindo a falta de preparo e profissionalismo dos professores para que haja assim a transformação do individuo na sociedade. Segundo a descrição do autor na (pag. 12) “Pedagogia transformadora deveria, para ser minimamente coerente , primeiro transforma-se a si mesma”. É interessante a idéia central da frase descrita, porque tudo na vida em que venhamos transmitir ensinamento é necessário ter segurança , passarmos confiança e acima de tudo dar exemplo vivenciado naquilo que ensinamos e assim se tornará mais fácil alcançar o objetivo desejado.
    Mesmo com as facilidades e oportunidades de mudanças oferecidas por instituições, infelismente ainda existe alguns profissionais da educação que são meros professores e longe de ser um “Mestre” pelo fato de sua má formação ou falta de interesse, a maioria estão despreparados ; não tem um bom desempenho , tem dificuldades de pesquisas de elaboração e mais não se atualizam em novos conhecimentos, com todas essas lacunas, comprometem a formação do aluno.
    Para ser um “Mestre” é necessário ter humildade, aceitar questionamento e ter argumentos, acompanhar o aluno de perto, ter amor pelo que faz, com esses adjetivos e muito outros, irão garantir para o aluno uma boa aprendizagem. O professor não deve ter medo de novas descobertas, com certeza será um verdadeiro “Mestre”.


    1- “A maioria dos professores não estão habituados a aprender e internalizaram a idéia de que já aprenderam o que tinha para aprender; cumpre-lhes agora, “ensinar”; aprender é problema

    É uma pena, mas é uma triste realidade, que alguns professores pensam dessa forma, acham que já sabem tudo e não precisa mais de conhecimento, acomodando-se somente com o que aprendeu e consequentimente passar para o aluno não se preocupando se o mesmo aprendeu ou não. O professor deve sempre parar e refletir se há alguma deficiência e onde pode melhorar.

    2- Entre os obstáculos à aprendizagem do aluno, um dos mais comprometedores é certamente a má formação do professor.

    Claro, que em todas as profissões há profissionais despreparados e sem conhecimento na sua área, não fizeram um curso superior, simplesmente passam por ele, assim é na educação, tem muitos professores que não tem bagagem, não dominam o assunto prejudicando assim o aluno.
    Valdilene

    ResponderExcluir
  63. Ironias da Educação
    PEDRO DEMO

    IDÉIA PRINCIPAL DA OBRA: Pedro Demo escreve esse livro a partir da sua vivência como professor. O autor faz críticas à Educação e aos professores, a obra nos leva a refletir sobre a postura do professor diante da crítica e da autocrítica nos processos de avaliação e ensino-aprendizagem, bem como sobre a resistência à mudança pedagógica.É simples, nossos professores temem a mudança, pois temem não estar preparados para tal.

    DEMO: 1 - " Mais que tudo, ficou claro que a preocupação central de nossas escolas e faculdades é o mero ensino ministrado por professor que só sabe ensinar." (p.32)
    Assim, o professor não pode fazer o aluno aprender se ele não sabe aprender.Os docentes enfrentam dificuldades de ensinar a aprender, isto é, desconhecem, muitas vezes, como os alunos podem aprender e quais os processos que devem realizar para que seus alunos adquiram, desenvolvam e processem as informações ensinadas e apreendidas em sala de aula, justamente pela falta de capacitação. Os seus professores por vezes, são os que menos sabem aprender. Suas aulas são mais reprodutivistas do que criativas.

    DEMO: 2- " Em meio a tamanhos conflitos, o recuo foi crescendo, até que, em certo momento, "sobrei". Fomos do céu ao inferno, no prazo de um ano. A convicção de que é preciso mudar foi menos forte do que o medo de mudar. Os professores, por sua vez, foram mostrando as resistências clássicas. (p. 44)
    É certo que a Pedagogia transformadora incomoda aqueles que estão na estabilidade,por saber que no país o sistema educativo se encontra defasado. Em contrapartida, interessa ao neoliberalismo que os cidadãos continuem sem formação adequada, sem questionamentos. Interessa, sim, ao neoliberalismo que as pessoas tenham poder de consumo de tecnologia, não de conhecimento, não de autonomia.
    Pois poucos são os que ousam mudar, ousam transformar o que se tem em algo melhor, algo que beneficie o aluno e não ao próprio sistema. Poucos são os professores que vivenciam o que falam, que transformam teoria em prática e, depois, sua prática em teoria.

    Acadêmica: Tuanny Rodrigues Nascimento

    ResponderExcluir
  64. No livro Ironias da Educaçao podemos perceber que o autor Pedro Demo,visa a nos alertar para a realidade sobre a educação do nosso país,uma educação de baixa qualidade,onde cabe a nós,população,fazer valer os nossos direitos,exigindo melhores niveis de preparos dos docentes,cobrando uma melhor infra-estrutura.Porque a educaçao não só transforma a vida das pessoas,mas modifica toda uma sociedade.
    2.1"Todos em torno da escola,falam que a educaçao e conhecimento são fatores centrais da mudança,mas a escola continua a mesma”.(pg 12)
    Como poderia a educação mudar se os proprios educadores,finge ensinar os seus alunos só para marcar a presença no seu trabalho,e alem do mais o aluno as vezes finge que aprende.
    2.2"Não estao habituados a aprender sistematicamente-internalizaram a idéia que já aprenderam o que tinha para aprender;cumpre-lhes agora é "ensinar”;aprender é problema do aluno”(pg16).Como alguns educadores visam mudança na educação,com pensamentos de não buscar novos conhecimentos,e que é problema do aluno buscar esse conhecimento.Como chegar há uma educaçao de qualidade sem um instrutor capacitado?
    Cabe aos professores buscar em seus interiores e verificar realmente se é um profissional adequado para ensinar,e aos governantes olhar a questão da educação de qualidade para nosso pais ter uma transformaçao social.Pois em suma a educação transforma um país,tanto em espectos econômicos,quanto tecno-culturais.
    Ass:Fernanda Sá Carvalho

    ResponderExcluir
  65. Quero parabenizar o grupo pelas abordagens e mencionar que, é a partir desse olhar crítico, feito pela junção de todos os componentes da sala, que nos será possibilitado a visualização de maneira mais detalhada sobre a realidade em que estamos inseridos. Da mesma maneira, ter como subsídio de mudança a própria Pedagogia, posto que, seguramente é a Educação uma das molas propulsras de mudança, de maior significado da sociedade.

    ResponderExcluir
  66. Gleyciane Oliveira da silva pedagogia 2° periodo20 de março de 2011 23:58

    Comentários sobre a obra:
    DEMO, P. Ironias da Educação: mudanças e contos sobre mudanças. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. 2ª edição.
    1.O livro nos mostra o quanto a pedagogia esta acomodada não aceita ser avaliada e nem receber critica mesmo que esta seja construtiva
    Demo P. [...] É tudo o que a pedagogia faz : avalia, mas não aceita ser avaliada: questiona , mas detesta ser questionada ; inovar, mas não inova. Tem- se, então, a maior ironia de todos : os profissionais da aprendizagem , por vezes , são os que menos sabem aprender . Vivem dando aula, mas de modo reprodutivo , demonstrando que são o oposto da aprendizagem adequada[...]pág. 12
    2.Nos mostra tambem que a educação esta precaria porque os governantes não tem nenhum interesse em investir na educação, a educação publica hoje é coordenada por pessoas sem capacidade indicada por algum politico .
    2.1 Hoje a pedagogia ensina autodidatismo nunca tenta mudar inovar ou sair da rotina.

    ResponderExcluir
  67. QUERO AQUI AGRADECER A PARTICIPAÇÃO ENRIQUECEDORA DE CADA UM, E DIZER QUE A PARTIR DESSE MOMENTO A GENTE FECHA AS NOSSAS DISCUSSÕES NO BLOG.
    DESEJO AINDA ENFATIZAR SOBRE O COMPROMISSO E A RESPONSABILIDADE DE CADA UM.
    PARABÉNS
    COM CERTEZA TEREMOS NOVOS MOMENTOS DE DISCUSSÕES SOBRE A TEMÁTICA, QUE MUITO TRARÁ AOS NOSSOS CONHECIMENTOS E, CONSEQUENTEMENTE AS NOSSAS AÇÕES

    ResponderExcluir
  68. AGORA SÃO EXATAMENTE 00: E 04 MINUTOS
    BEIJOS E ATÉ MAIS

    ResponderExcluir