segunda-feira, 23 de maio de 2011

É HORA DE COMENTAR, REFLETIR E APRENDER

Acadêmicos do quarto período de Pedagogia...
 Sejam Bem Vindos!
É com muito prazer que recebo cada um de vocês nesse espaço de interação.
Meu desejo é que você se sinta à vontade para contribuir com as reflexões trazidas pela obra estudada, refletindo e, consequentemente, buscando a mudança como objeto da história, junto a esse sistema de ensino que se apresenta.
Com certeza sua concepção e sua colocação em muito acrescentará nas nossas aprendizagens.

"Nenhum de nós é tão inteligente quanto todos nós juntos.”
Warren Bennis Autor Norte-Americano
 

Historicamente falando, a educação brasileira trouxe como pano de fundo objetivos tímidos acerca da sua real necessidade para o desenvolvimento social. Na obra de Mészaros, o autor expande algumas reflexões relevantes sobre o processo de educação e seus efeitos benéficos ou não dentro de umprocesso histórico. Vale ressaltar que a "educação" na qual o autor relata, não se restrige  a um sistema micro, aqui compreendido como a sala de aula, mas sim a um processo macro que, com o seu movimento, é capaz de transformar um espaço social pela consciência desenvolvida em cada um dos sujeitos que nela atuam.
O autor inicia a sua reflexão partindo de um olhar filosófico, advinda das concepções marxistas, mostrando principalmente os limites impostos, o comprometimento e principalmente, a corrida desenfreada por um capital, ou seja, a acumulação de bens, justificada por um sistema dual e a conservação desse sistema dentro do espaço social, estabelecido por cada uma das sociedades que surgem ao longo da história.

Diante dessa breve abordagem, contribua com as suas colocações acerca da temática, para que possamos realizar discussões ricas em aprendizagens, tendo como roteiro os apontamentos abaixo.

1. Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada;
2.  Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão; 
3. Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país.
OBS: Não esqueça:
Coloque o seu nome após as suas respostas;
Coloque as citações utilizadas entre aspas.
Estaremos abertos para as contribuições até o dia 01/06/2011.

Você poderá voltar a participar, caso queira discutir assuntos relatados pelos colegas, mesmo já depois de ter participado, construindo assim um fórum de discussões.
Boa interação!

ABRAÇOS PSICOPEDAGÓGICOS EM CADA UM DE VOCÊS.
 Aproveitem a nossa estadia nesse espaço de aprendizagem! 



55 comentários:

  1. BOM DIA !

    Neste contexto, o livro A educação para além do capital, escrito por István Mészáros, apresenta-se como contribuição singular. Produzido na forma de ensaio para a conferência de abertura do Fórum Mundial de Educação, realizado em Porto Alegre, em julho de 2004, o brilhante filósofo, em poucas linhas (o livro tem ao todo 80 páginas) nos dá, a todos os educadores latino-americanos, uma rica lição sobre o papel da educação. Em um texto conciso e muito claro, Mészáros discorre sobre o papel da educação e suas possibilidades de contribuir na mudança social, bem como na manutenção da sociedade. Com a sabedoria de seus longos anos de estudo, citando de Paracelso a Fidel Castro, passando por John Locke, Adam Smith, Robert Owen, entre outros, mas principalmente recorrendo aos argumentos de Marx e Gramsci, faz uma retrospectiva histórica – em que fatos e dados são os que menos importam – das idéias que orientaram as políticas educacionais no capitalismo.
    Professor emérito da Universidade de Sussex, Mészáros fala como um educador que se identifica, no âmbito do próprio Fórum Mundial de Educação, com tantos outros que acreditam na educação como possibilidade de mudança. Contudo, relativiza o papel que a educação tem no processo de mudança social. Procura demonstrar que a educação, por si só, não é capaz de transformar a sociedade rumo à emancipação social.

    Para o autor, "educação, trata-se de uma questão de 'internalização' pelos indivíduos, da legitimidade da posição que lhes foi atribuída na hierarquia social, juntamente com suas expectativas 'adequadas' e as formas de conduta 'certas', mais ou menos explicitamente estipuladas nesse terreno" (p. 44). Aqui não devemos ler internalização como processo de inculcação ideológica. Na realidade, Mészáros está nos falando de um processo complexo em que a educação é uma parte. Processo que envolve a necessidade, por parte do capital, de manutenção ativa dos trabalhadores e, neste aspecto, é inegável a influência de Gramsci sobre suas idéias:
    Enquanto a internalização conseguir fazer o seu bom trabalho, assegurando os parâmetros reprodutivos gerais do sistema do capital, a brutalidade e a violência podem ser relegadas a um segundo plano (embora de modo nenhum sejam permanentemente abandonadas), posto que são modalidades dispendiosas de imposição de valores, como de fato aconteceu no decurso do desenvolvimento capitalista moderno. (p. 44)
    Seria a mesma noção deixada por Gramsci, de que a hegemonia repousa sob a armadura da coerção.

    Podemos tomar suas palavras como uma provocação ou um estímulo, quem sabe um convite a assumirmos nossa condição de sujeitos, capazes de escrever nossa história, ainda que a retórica pós-moderna negue a autoridade de certos argumentos, por não poder conviver com eles. Como ele mesmo nos observa:
    A recusa reformista em abordar as contradições do sistema existente, em nome de uma presumida legitimidade de lidar apenas com as manifestações particulares – ou, nas suas variações "pós-modernas", a rejeição apriorística das chamadas grandes narrativas em nome de petits récits idealizados arbitrariamente –é na realidade apenas uma forma peculiar de rejeitar, sem uma análise adequada, a possibilidade de se ter qualquer sistema rival, e uma forma igualmente apriorística de eternizar o sistema capitalista. (p. 29)
    A necessidade imperiosa de neste momento se pensar a educação para além do capital faz desse importante ensaio uma contribuição espetacular ao debate educacional, mas mais que isso, é um convite a uma outra forma de pensar e conceber o mundo, uma pérola que somente um filósofo da estatura de István Mészáros poderia oferecer.
    DANIELA PINHEIRO MARINHO
    Beijinhos!
    Amei o blog parabéns

    ResponderExcluir
  2. 1. Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada;

    A presente obra “A Educação Para Além do Capital” escrita por Istvan Mészáros têm como proposta uma educação além da visão capitalista, ou seja, ele propõe uma educação para a vida.

    Istvan Mészáros logo no inicio de sua obra na pagina 25 afirma que:

    “Poucos negariam que os processos educacionais e os processos sociais mais abrangentes de reprodução estão intimamentes ligados. Consequentemente, uma reformulação significativa da educação é inconcebível sem a correspondente transformação do quadro social no qual as praticas educacionais da sociedade devem cumprir as suas vitais e historicamente importantes funções de mudança”.

    Nesse sentido, reconhece-se que não é possível mudar a escola, mantendo intacto á estrutura de preservação do sistema do capital. Mészáros acredita que as determinações fundamentais do sistema do capital são irreformáveis e incorrigíveis. Para ele é necessário romper com a lógica do capital se quisermos uma educação diferente da que temos hoje. Assim não adianta buscarmos soluções para a educação dentro das bases do sistema capitalista, nem tentar reformular o sistema, a única alternativa seria uma mudança radical, tanto no sistema político como no sistema econômico. (Wylames Sousa Costa)

    2. Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão;

    Um dos pontos que eu consegui observar na leitura do livro é a necessidade de se adotar uma educação libertadora, pois o sistema de educação presente tem servido como uma alienação total do individuo. Na pagina 35 Mészáros no coloca que: “A educação institucionalizada, especialmente nos últimos 150 anos, servi – no seu todo – ao propósito de não só fornecer os conhecimentos necessários à máquina produtiva em expansão do sistema do sistema do capital, como também gerar e transmitir que legitima os interesses dominantes”. Aqui Mészáros nos coloca que as escolas têm servido como uma instituição de “lavagem cerebral” a fim de internalizar a ideologia dominante dentro do individuo, e cita como exemplo o caso de Cuba, que antes aparecia nos livros que era graças aos norte-americanos, que os cubanos haviam se livrado do jugo espanhol, fato que retira da historia a luta de vários cubanos que deram a vida pela liberdade de seu povo. (Wylames Sousa Costa)

    3. Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país
    Diante do tema abordado neste livro é notória a necessidade da existência de práticas educacionais que permitam aos educadores e alunos trabalharem as mudanças necessárias para a construção de uma sociedade na qual o capital não explore mais o tempo de lazer, pois o que as classes dominantes impõem é uma educação para o trabalho alienante, com o objetivo de manter o homem dominado. Já a educação libertadora teria como função transformar o trabalhador em um agente político, que pensa, age, e usa a palavra como arma para transformar a realidade.
    O ato de educar não deve ser neutro, ele é crítico, político e filosófico e da mesma maneira que as diferentes relações de uma sociedade influenciam a educação, ela também pode formar cidadãos políticos, conhecedores do processo histórico, científico, econômico, cultural e social, capazes de transformarem a sociedade de acordo com os seus interesses e suas necessidades. É necessária uma escola que eduque para a vida e não para a sustentação do sistema capitalista. (Wylames Sousa Costa)

    ResponderExcluir
  3. Wylames, parabens pela sua abordagem quanto ao livro. é exatamente esse ponto de vista citado por você que o Pedagogo precisa se pautar, ou seja, tirar os educandos dessa cegueira intelectual e passar a construir uma educação que capacite o sujeito a ser cidadão de fato e não um mero instrumento da máquina do sistema.
    As práxis pedagógicas são na verdade um grande instrumento mobilizador para um novo modelo de educação. Portanto, vale ressaltar que: Não basta ser apenas um pedagogo, é preciso QUERER ser um agente transformador tanto de pensamentos quanto de ações vindas dos nossos educandos.

    ResponderExcluir
  4. REPOSTAS
    1º A obra de Istvan Mészaros diz que a Educação não deve qualificar para o mercado, mais sim para a vida. É impossivel n´s brasileiros penssarmos assim, porque não penssamos como educar, e muito menos com o fututo de amanhã, é como construir uma educação sem ajuda das transformações políticas.
    2º Umas das idéias é que á aprendizagem é a nossa propria vida, desde da juventude até a velhice, ou seja, é preciso buscarmos conhecimento para desenvolver as nossas capacidade de aprendizagem para peder alcaçarmos nossos objetivos qe que a educação seja o melhor caminho. pag 47
    A idéia " a aprendizagem é a nossa propria vida" ou seja, a principal função é agir como um cão de guarda, é reivindicar uma educação para toda a vida ou generalizadora, para que haja uma interação entre professor e aluno.Pag 55
    3º O fato é que se penssarmos em educação capitalista não concretizamos nossos exitos em conhecimento e não estamos preparados para a educação e isso nos atrapalha nas mudanças da construção educacional. É como diz Mészaros, educar não é a mera tranferencia de conhecimento mais sim conscientização e testemunho da vida.
    acadêmica Silvãnia Régia

    ResponderExcluir
  5. 1- Questão:

    O livro traz uma reflexão muito rica sobre o sistema educacional que temos hoje. Mostra com clareza o sistema educacional que tem como objetivo alimentar e sustentar a máquina capitalista. Em um ciclo vicioso de quem é rico fica cada vez mais rico e o pobre cada vez mais miseravel. Isso por que vivemos num sistema alienante, onde o trabalho, educação e todo o processo social caminham juntos. O autor coloca que para haver uma mudança emancipadora, é preciso mexer em todo o processo social, e não só na educação, já que a mesma é controlada pelo sistema capitalista. Geovana Abreu.

    ResponderExcluir
  6. 2- Questão:
    Na pagina 53 no segundo parágrafo o autor coloca;
    "...a aprendizagem é a nossa própria vida"Pois muitos de nossos processos continuos de aprendizagem se situa, felizmente, fora das instituições educacionais formais. Felizmente, porque esses processos não podem ser manipulados e controlados de imediato pela estrutura educacional formal..."
    É interessante observar que o contexto social em que vivemos será determinante em nosso aprendizado, o autor mostra que não é só nas instituições formais que se aprende. O ensino informal, pode ser até mais rico de bagagem e aprendizagem. O individuo tem o poder de transformar sua realidade atravez do conhecimento informal, claro que ele prcisa dos dois, (empírico e o científico), mas o empírico não pode ser manipulado pelo sistema.

    Um outro ponto que me chamou atenção é que o autor mostra o bem sucedido exemplo de Cuba(pag.66). Agora na página 90 no primeiro parágrafo, Mészáors da a entender que a melhor saida seria pensar em uma perspectiva socialista.
    "...somente no interior de uma perspectiva socialista o pleno significado da educação pode chegar à fruição..."
    De uma certa forma devo concordar com o autor, pois a forma de como se encontra a máquina capitalista hoje, dominando o mundo. Teriamos que começar novamente, com uma nova proposta de governo e o caminho como sempre, só pode ser através de uma educação emancipadora. Geovana Abreu.

    ResponderExcluir
  7. 3- Questão:
    Se olharmor com um pouco mais de atenção para a escola, percebemos que a escola é uma peça muito importante dessa maquina chamada sociedade que por sua vez é capitalista. Por isso se começamos a mudar a escola, aos poucos estaremos ajudando mudar a sociedade.
    Sonho com uma escola ideal, onde a criança tenha prazer e não obrigação de frequentar.
    Uma escola que se prevaleça a qualidade, e não a quantidade.
    Uma escola que possa atender todas as necessidades da criança tanto física como intelectual.
    Uma escola onde os conteudos sejam significativos para a criança, que respeite sua bagagem de casa, seu conhecimento de mundo,e que estimule sua autonomia.
    Em fim uma escola que tenha como base de trabalho o diálogo e o respeito ao outro, que trabalhe a cooperação e não a competição como vemos hoje.Uma escola que ensina para a vida. Tenho certeza que esse sonho é possivel, e não esta tão longe, já avançamos muito, mas aida há muito por fazer. Geovana Abreu.

    ResponderExcluir
  8. Ana Cleide 4 periodo pedagogia30 de maio de 2011 09:31

    A EDUCAÇÃO PARA ALÉM DO CAPITAL
    István Mészáros


    1.Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada.
    O objetivo traduzido no tema principal da obra analisada centraliza-se no ponto que a educação não deve convergir para uma qualificação que atenda a princípios capitalistas do lucro, legitimando assim os interesses dominantes, mas buscar desde o principio uma compreensão e preparação do individuo para a vida.
    Apoiado no fato que a educação não deveria ser uma mercadoria de legitimação dos interesses dominantes, pois a sua utilização como tal serviria apenas como uma mola de reprodução do sistema, pela ambição individual em detrimento dos interesses coletivos, o autor István Mészaros, traça um paralelo de uma linha do tempo dos limites impostos entre capitalismo e educação.
    Nisto, o sistema impõe a educação limites meramente comerciais, abrindo espaços para uma mercantilização, sustentando todas as formas da filosofia capitalista de ser, pela instrumentalização do homem.
    Por isso, o educador passa a ser utilizado a serviço dos ideais capitalistas, transformando-se como um novo aparelho de ganho, a partir dai a obra busca tornar o homem peça maior de um tabuleiro onde a peça principal seria a racionalização dos verdadeiros objetivos práticos educacionais, propondo saídas idealizadas a partir da razão.
    O caminho para a largada libertaria do capital seria a cisão com a lógica do capitalismo, levando o conhecimento ao homem que a aprendizagem é o próprio sangue que alimentaria as mudanças da vida, ou seja, dos princípios do que é educação.

    ResponderExcluir
  9. Ana Cleide 4 periodo pedagogia30 de maio de 2011 09:33

    cont.
    2. Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão.
    1º- “Nunca é demais salientar a importância estratégica da concepção mais ampla de educação, expressa na frase ‘a aprendizagem é a própria vida’” (p.53).

    Uma primeira idéia sobre novos caminhos educacionais seria o entendimento da frase “ a aprendizagem é a nosso própria vida”, isso não limita somente nos campos ou limites de uma educação formal a aprendizagem, mas resgata toda uma fiação importante do fazer educacional, aprimorando e subsidiando o conhecimento do homem, atingindo assim uma unidade que montaria uma personalidade essencialmente precisa disposta a aprender a aprender sempre, sobretudo fora dos limites escolares
    2º -... “Portanto, desde o início o papel da educação é de importância vital para romper com a internalização predominante nas escolhas políticas circunscritas à “legitimação constitucional democrática” do Estado capitalista que defende seus próprios interesses”... (p.61)
    Outro importante tópico seria a exigência de superação da lógica desumanizadora do capital, que tem no lucro e na competição os seus fundamentos, a obra exemplifica que a educação desempenha um papel importante de transformação social, buscando o rompimento com o capital, a partir de uma mentalidade não alienável
    3. Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país.
    Durante o processo do fazer educacional moderno, a partir da Revolução Industrial, o homem foi criando novos pensamentos de entendimento do mundo, sendo assim influenciado por todo um procedimento histórico, onde as concepções de compressão foram revitalizadas e massificadas por estruturas poderosas que influenciaram e continuam influenciando na origem a ação educacional.
    Ter um visão pós capitalista do processo educacional seria sobretudo dar ao individuo a capacidade de escolha, o liberando das amarras seculares do capital, aprendendo os verdadeiros objetivos da arte da educação, contribuído para que o individuo possa adequar os conceitos individuais com os do coletivo.
    A partir da liberdade do agir, o homem passaria a modificar o seu destino, sendo a educação a trilha principal do caminhar, ou seja, o homem educador precisaria ser educado, mas com uma diferença única, a forma de seguir estaria sendo direcionada somente pelos objetivos do homem para o homem visando seu bem estar, diferente da alienação do processo capitalista de ser.
    A contribuição para o país estaria no desenvolvimento da massa com um todo, eliminando as diferenças sociais impulsionadas pelo acesso a conhecimento direto, modificando as estruturas políticas, econômicas e culturais, em posse do conhecimento o papel da educação na construção de um mundo possível estaria nos limites do lógico e possível, não cedendo lugar as utopias de sistemas delirantes e perversos.
    A educação contribuiria para ter o homem como uma referência principal e não somente como um componente comercial de uma manobra de gerar o lucro pelo lucro, ou seja, o homem seria capaz de gerar saber do homem para o homem, preparando e oferecendo condições de escolha, objetivando o bem coletivo.

    ResponderExcluir
  10. 1)Em sua obra mészáros,tem como objetivo central os que lutam contra a sociedade mercantil,a alienação e a emancipação humana.Apresenta um sistema que se apoia na separação entre trabalho e capital.Onde,no reino do capital,a educação é, uma mercadoria,instaurado pelo neoliberalismo,em que "tudo se vende tudo se compra","tudo tem preço".Comenta sobre o enfraquecimento da educação pública paralelo ao crescimento do sistema privado.É uma leitura obrigatória para toda pessoa que sonha com uma educação para a vida e não para o mercado de trabalho.
    Adilma Costa da Silva.

    ResponderExcluir
  11. 2)Um dos pontos observados,onde o autor nos diz que não se deve separar o "Homo faber" do "homo sapiens".(mészáros,p.49)ou seja,não se deve separar aquele que trabalha daquele que pensa,mas,sim os dois devem ser o mesmo.O autor sente-se aliviado pelo fato de que a maior parte da educação não se concentra na escola,mas fora dela.Mészáros conclui o seu raciocínio dizendo que:"Sem um progressivo e constante intercâmbio com processos de educação abrangentes como "a nossa prória vida",a educação formal não pode realizar as suas muito necessárias aspirações emancipadoras"(Mészáros,p.59). Nesse sentido,a escola deve educar para a vida e, ao mesmo tempo,absorver elementos dela.
    Adilma Costa da Silva.

    ResponderExcluir
  12. 3) De acordo com esta obra,é necessário romper com a lógica do capital se quisermos uma educação diferente da que temos hoje.A partir daí surge a necessidade de estarem buscando educadores conscientes,e capazes de fazer a diferença em sua prática pedagogica.Ou seja,educando de forma libertadora,que venha contribuir na formação de sujeitos conscientes com relação ao sistema capitalista vigente e, que possam estarem rompendo barreiras,em busca de uma sociedade menos dominada pelo capitalismo,sejam menos infleunciados pela mídia e capazes de terem autonomia de escolherem o que realmente necessitam para sobreviver.Onde também não esquecendo de que a educação acontece em todos os momentos de nossa vida.Portanto,formando cidadãos capazes de atuarem em qualquer época,de acordo com as necessidades de cada momento histórico de suas vidas.Adilma Costa da Silva

    ResponderExcluir
  13. 1. O livro aborda a alienação da educação como forma de manter o sistema capitalista. Para Mészáros a educação é o processo vital de existência do homem, isto é, aquilo que caracteriza a sua especificidade de ser social, ela deve ser vista como fator de transformação social, entretanto ela limita-se a trazer somente crescimento ao sistema, dentro de seus respectivos valores. (CHAYANNE SANTOS)

    2. “Limitar uma mudança educacional radical “às margens corretivas interesseiras do capital, significa abandonar de uma só vez, conscientemente ou não, o objetivo de uma transformação social qualitativa.” (Mészáros, 2005, pg. 27.)

    Nesse sentido, o processo educacional não deve estruturar-se ás margens corretivas marginais. A violência faz com que o indivíduo torne-se marginalizado e incorrigível. As reformas educativas vêm para mudar essa forma coercitiva de educação. Faz-se necessária a libertação de uma educação opressiva. Para obtermos uma transformação social é preciso uma educação de qualidade que rompa com a lógica do capitalismo.

    “Sem um progressivo e consciente intercâmbio com processos de educação abrangentes como “a nossa própria vida”, a educação formal não pode realizar as suas muito necessárias aspirações emancipadoras.” .(Mészáros, 2005, pg. 59)

    Nesse pensamento, a educação não deve estar pautada somente na formalidade de institutos educacionais, pois aprendemos a todo momento em qualquer lugar. Faz-se necessária uma base internalizada em cada indivíduo, que seja capaz de superar a alienação, pois
    para se atingir o resultado desejado é preciso uma mudança em toda humanidade, onde a educação não seja apenas um momento específico, mas que esteja presente ao longo da vida de cada indivíduo. (CHAYANNE SANTOS)


    3.Diante da obra fica claro que a educação necessita de uma reformulação significativa, onde a estrutura do sistema do capital seja o principal foco dessa mudança. A educação tem que ser liberta do capitalismo para que futuramente tenhamos indivíduos críticos e pensantes, somente assim o Brasil terá chances de ter políticos honestos e jovens ativos numa sociedade em constante mudança e absolutamente tudo depende de uma educação liberta e de qualidade. (CHAYANNE SANTOS)

    ResponderExcluir
  14. Seu comentário foi interessante principalmente pela ideia de educação como "processo vital". Isso vem explicar literalmente a função da educação nesses novos tempos e nessa nova sociedade, ou seja a sociedade do conhecimento. A educação é "vida" na sua real função da palavra. Atualmente o ser humano que apenas reproduz uma ideologia de um sistema, ou que não faz nem mesmo essa função, simplesmente ele não tem vida. Portanto, é preciso que reflitamos o nosso verdadeiro papel de Pedagogo nesses novos tempos, bem como sua significancia.
    Prof. Joselma

    ResponderExcluir
  15. Adilma, muito bom o seu comentário quando você menciona principalmente sobre as duas formas de aprender, ou seja, dentro e fora da sala de aula.
    Nesse contexto é possivel visualizar a ideia do autor quando ele nos coloca a importancia da educação fora da escola como uma educação que move a vida do sujeito, fazendo o papel que a escola formal muitas vezes não consegue fazer.
    Prof. Joselma

    ResponderExcluir
  16. 01A história do livro gira em torno de uma questão fundamental para a docência, diz respeito à influência que o capitalismo provoca no sistema educacional, Assim, faz-se necessário uma proposta educacional que tenha em vista a qualidade de formação para todos os estudantes, considerando os interesses e motivações dos alunos e garantindo as aprendizagens essenciais para a formação de indivíduos autônomos, críticos e participativos, capazes de atuar com competência, dignidade e responsabilidade na sociedade em que vivem. Acredito que isso é pura demagogia, pois a sociedade atual, embora democrática é dominada por um sistema capitalista onde se valoriza apenas o bem de uma minoria e o que parece é que o governo não tem o interesse em desenvolver uma política educacional que garanta uma transformação social, de modo que essa democracia realmente seja praticada e respeitada por todos, inclusive pela elite. e as escolas vêm sofrendo a cada ano uma massificação e uma pressão por parte do sistema que corrói seus interiores e nossa sociedade.

    02“A aprendizagem é a nossa própria vida, desde a juventude até a velhice, de fato quase até a morte, ninguém passa diz horas sem aprender. pg47”

    A aprendizagem é uma das formas significativas de ganhar algo.nós seres humanos precisamos sim de aprender e de se ter um bom desenvolvimento além do capital,aprender não somente para mostrar que sabemos mais sim ter uma aprendizagem dentro de se mesmo dentro do nosso interior a sabedoria de saber repassar para frente para outras pessoas que também precisa saber do conhecimento.Nós seres humanos independente de professores ou não já nascemos com uma bagagem que carregamos ao longo da vida ou seja aprendizagem depende de cada um querer e procura pois o professor é apenas um mediador.

    ‘Na medida em que tivemos êxito em educar profundamente nosso povo no espírito do internacionalismo e da solidariedade,tornando consciente dos problemas do nosso mundo de hoje,no mesmo grau seremos capazes de confiar que nosso povo cumprirá suas obrigações.É impossível falar de solidariedade entre os membros de povo se a solidariedade não for criada simultaneamente entre os povos.pg106”

    A educação creio que é umas das dispensas que mais tem crescido nas famílias.Existem também a desigualdade entre o pobre e o ricos todos nos sabemos que as escolas particulares tem mais prioridade deferente das escolas públicas.E com isso a globalização vem trazendo modelo de influência educacional pois as crianças já vem para sala de aula com o conceito capitalista ou seja os pais ensina para seus filhos que o mundo vivem dirigido pelo dinheiro.





    03E importante que a educação proporcione aos alunos uma aprendizagem que dê condições de mudanças e não que seja voltada somente para os interesses políticos.pode se dizer que a educação e o capitalismo estão juntos e o ato de educar estar diretamente ligado ao setor financeiro de cada educando ou educador.

    jeusilene de jesus da silva

    ResponderExcluir
  17. A Educaçâo para além do Capital
    István Mészáros.

    1)O Livro aborda a seguinte questâo sobre a educaçâo deveria ser de fato uma transformaçâo social com seus valores poís, o livro fala como a educação poderia está sendo transformada dentro da sociedade e que as mudanças serão apenas um único objetivo de fazer com que o capitalismo tivesse força de supri com a educação. e a alienação do capitalismo dentro da própia educação. ( Leda Maria)

    2)Um dos pontos abordados no livro foi sobre [...a aprendizagem é a nossa própria vida,desde a juventude até a velhice...] (pg.47) É de mera importância perceber que a aprendizagem é de fato opcional na nossa vida o autor fala que ninguém fica dez horas sem nada aprender de fato é verdade poí, a aprendizagem é para toda vida,não é apenas pra o individuo mas sim para o ser humano ver como é necessário aprender dentro de um sistema educacional.
    "Apenas a mais ampla das concepções de educação nos pode ajudar a perseguir o objetivo de uma mundança verdadeiramente radical , proporcionando instrumentos de pressão que rompam a lógica mistificadora do capital."(pg.48)
    A educaão poderia ser realmente radicalizada entre ambas partes. seria uma maneira de abodar tais assuntos em que a educação em si deve e precisa de muitas mudanças dentro do capitalismo. ( Leda Maria)

    3) A obra monstra que a educação no entanto é de sentido amplo que vai além dos niveis de ensino ou dos sistemas escolares. ou seja é uma visão que tem como objetivo a alternativa educacional, o sistema capitalista impõe muitas condições sobre a sociedade,a educação precisa urgente ser reformula poís,a própria educação é vista pelo capilalismo. precisamos de sres pensantes e que sejam capazes de mudar a educação do nosso país. ( Leda Maria)

    ResponderExcluir
  18. 1. Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada.
    A obra de István Mezaros, “A educação para além do capital”, tenta nos conscientizar, sobre a importância da educação, mas em uma visão diferente da qual estamos acostumados a visualizar. Ele começa afirmando: “Que educação não deve qualificar para o mercado, mas para a vida.”
    Observa- se que atualmente o interesse maior relacionado à educação, não é apenas educar, mais transformar pessoas em indivíduos preparados para uma vida de trabalho, preparado para obedecer a regras impostas pelo o meio em que se vive, ou seja, regras capitalistas. O mesmo enfatiza que a sociedade está vivendo um momento onde o capital dita às regras, e a educação assim como todos os órgãos apenas obedece. Ele declara que “... as instituições de educação tiveram de ser adaptadas no decorrer do tempo, de acordo com as determinações reprodutivas em mutação do sistema do capital.” pag. 42
    A questão é que cada indivíduo adote o sistema do capitalismo particularmente, porém romper com esse sistema é uma tarefa complicada, mas necessária para a contemplação de uma educação diferenciada, o mesmo defende em todos os parâmetros a idéia da luta pelo o rompimento da lógica do capital. (MYRIAN BANDEIRA)
    2. Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão.
    Mészaros revela em partes do livro, que se é necessário romper com as barreiras, com a lógica impostas pelo o capital. Porém ele declara em um de seus discursos que: “Esperar da sociedade mercantilizada uma sanção ativa (...) que estimule as instituições de educação formal a abraçar plenamente a grande tarefa histórica do nosso tempo, ou seja, a tarefa de romper com a lógica do capital no interesse da sobrevivência humana seria um milagre monumental”. Pag. 45
    Percebe- se que a educação formal já fez seu papel fundamental, que seria a internalização dos parâmetros gerais do capitalismo, no entanto para uma questão ruim. Porém em outro discurso, o autor revela que: “Apenas a mais ampla das concepções de uma mudança nos pode ajudar a perseguir o objetivo de uma mudança verdadeiramente radical...” pag. 48; e o autor complementa em outro momento dizendo: “... a questão fundamental é a necessidade de modificar, de uma forma duradoura, o modo de internalização historicamente prevalecente. Romper com a lógica do capital no âmbito da educação é absolutamente inconcebível sem isso.” Pag. 53
    A questão é que a sociedade está totalmente cheia de idéias que foram internalizadas nas escolas formais, tais escolas que obedecem ao sistema capitalista. Romper com esse modelo de sistema seria modificar o modelo de internalização repassado pela a história por anos, sendo assim, poderíamos pensar em romper com a lógica do capital, podendo enfim, a agir como pessoas livres e pensantes, como idéias totalmente geradora de indivíduos capazes de realizar seus próprios pensamentos, idéias, valores. (MYRIAN BANDEIRA)

    ResponderExcluir
  19. 3. Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país.
    Diante de tais ideias defendidas, concordo plenamente com Mészáros quando ele afirma que “aprendizagem é a nossa própria vida...” p.47; pois o que seríamos sem a capacidade de aprender, criticar, concordar ou discordar de determinadas situações, pois a nossa aprendizagem é contínua, sempre existe algo para aprender.
    Essa aprendizagem diária, não pode ocorrer obedecendo a ordens capitalistas, deve acontecer espontâneo. Uma educação fora desse modelo capitalista seria responsável pela a liberdade do indivíduo, ou seja, uma educação libertadora, sem a haver a interiorização de pensamentos apenas por pressões de ordens capitalistas. Nesse modelo, o indivíduo se torna um ser crítico, livre para defender suas idéias com total liberdade de expressão, um indivíduo pensante, que age, fórmula idéias próprias, que de acordo com seus conhecimentos é capaz de se utilizar de palavras para mudar o mundo, ou seja, um ser totalmente livre, para poder lutar por uma sociedade menos opressora e com direção a sua própria autonomia, segundo Mészáros, “... hoje está em jogo nada menos do que a própria sobrevivência da huamanidade.” Pag.55. (MYRIAN BANDEIRA)

    ResponderExcluir
  20. 1-Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada.
    Istiván Mészáros,em sua obra ‘’A Educação para Além do Capital,têm como temática a expansão da visão da educação,com o objetivo de pensar uma alternativa educacional que seja formulada do ponto de vista da emancipação humana.Isso de dá pelo fato de que é essencial por conta das limitações que o sistema capitalista impõem também sobre a produção de idéias.
    Na página 26 Mészáros afirma que:
    “Não surpreende, portanto que mesmo as mais nobres utopias educacionais,anteriormente formuladas do ponto de vista do capital,tivesse de permanecer estritamente dentro dos limites da perpetuação do domínio do capital como modo de reprodução sócio-metabolica.’’
    Mészáros reflete sobre uma nova educação, mesmo que o sistema capitalista não esteja aberto a esta alternativa, é justamente o fato de a educação, bem como as concepções de mundo e a consciência dos homens, não ser determinada automaticamente pelos interesses dominantes em cada momento da história. (Rosângela Gomes)

    2-Desenvolva e registre duas idéias secundárias que,ao longo da sua leitura,você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo,fazendo a citação de ambas com as referidas página e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão.
    O primeiro ponto que eu considero importante, e que não pude deixar de observar, quando o autor relata que a educação tem por tarefa,contribuir para que a superação do capital seja feita de forma total e não parcial, particular, como nas estratégias reformistas. É contra as determinações sistêmicas do capital,ele afirma que deve combater e seu papel,segundo ele,é soberano,’’tanto para a elaboração de estratégias apropriadas e adequadas para mudar as condições objetivas de reprodução, como para a automudança consciente dos indivíduos chamados a concretizar a criação de uma ordem social metabólica radicalmente diferente.(p.65).Aqui ele aborda dois conceitos principais que devem ser observados em primeiro plano:a universalização da educação e a universalização do trabalho como atividade humana auto-realizadoras,uma vez que ambas precisam andarem juntas,o ser humano precisa de educação e também necessita de um trabalho.(Rosângela Gomes.)

    3-Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país.
    Vimos que existem dois tipos de educação a qual o livro fala,uma é a capitalista,que tem como objetivo alienar o indivíduo e fazer com que o mesmo se enquadre em suas próprias imposições,e uma outra que ele aborda é a libertária,esta se enquadraria melhor no nosso cotidiano,uma vez que necessitamos de seres pensantes,críticos,de formar cidadãos conhecedores da nossa história de um modo geral.Necessário é que se tenha escolas onde a educação não esteja apenas a favor do capitalismo,e sim prepare as pessoas para a vida.(Rosângela Gomes)

    ResponderExcluir
  21. Naiara silva de Sousa
    A EDUCAÇÃO PARA ALÉM DO CAPITAL
    István Mészáros
    1 Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada;

    A obra de István Mészáros destaca a luta contra a completa submissão da educação ao reino da mercadoria, cujo resultado é a negação da auto realização humana e a perpetuação da ordem social alienante. Acredito que a educação a qual Mészáros se refere não se trata dos níveis de ensino ou sistemas escolares, mas à educação como o processo vital de existência do homem, ou seja, aquilo que o caracteriza como um ser social.
    Mészáros afirma que a educação emancipatória exige a destruição da ordem do capital e sustenta a ousadia de um pensamento político e pedagógico revolucionário: ”Hoje o sentido da mudança educacional radical não pode ser senão o rasgar da camisa-de-força da lógica incorrigível do sistema: perseguir de modo planejado e consistente uma estratégia de rompimento do controle exercido pelo capital, com todos os meios disponíveis, bem como com todos os meios ainda a ser inventados, e que tenham o mesmo espírito”. Pg. 35 ( Naiara Silva)
    2. Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão;

    Na pag. 48 o autor coloca:” A aprendizagem é, verdadeiramente, a nossa própria vida. E como tanta coisa é decidida dessa forma, para o bem e para o mal, o êxito depende de se tornar consciente esse processo de aprendizagem, no sentido amplo e “paracelsiano” do termo de forma a maximizar o melhor e a minimizar o pior”.Sendo assim, apenas um conceito abrangente de educação pode dar conta de uma verdadeira mudança, rompendo com o “círculo vicioso” do capital. Defendendo esse argumento, o autor diz que não se deve separar o “Homo sapiens” do “Homo faber”, isto é, não se deve separar aquele que pensa daquele que trabalha, mas sim, os dois devem ser o mesmo. O autor não condena os indivíduos a serem apenas o objeto, vítima das estruturas, mas acredita que apenas a intervenção de uma multiplicidade de seres humanos pode manter ou transformar o sistema. Mészáros ressalta que a maior parte da educação não se concentra na escola, mas fora dela, e, dessa forma, o jovem pode obter conhecimento em outros lugares. ( Naiara Silva)
    3. Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país.
    O aluno deve ser estimulado a construir seu próprio conhecimento, pois isso se torna fundamental e indispensável na construção de uma sociedade pensante e produtiva capaz de instituir conceitos de acordo com seus princípios. Assim, faz-se necessário uma proposta educacional que tenha em vista a qualidade de formação para todos os estudantes, considerando os interesses e motivações dos alunos e garantindo as aprendizagens essenciais para a formação de indivíduos autônomos, críticos e participativos, capazes de atuar com competência, dignidade e responsabilidade na sociedade em que vivem. A educação deve ser construída juntamente com o aluno não se pode simplesmente impor idéias os indivíduos são composto de pré-conceitos já formados no convívio de casa e dentro da sociedade, o professor não pode simplesmente ignorar essa bagagem que é inata. ( Naiara Silva)

    ResponderExcluir
  22. .knvjiodonlkhdsligoernkewjhao7dyefier´tk4

    ResponderExcluir
  23. 1. Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada;

    O autor expõe os pontos positivos e negativos no processo educacional brasileiro ao longo de tantos anos, dentro de varias teorias como de Marx, José Martí e Paracelso. Onde ele visa destacar a importância da educação que é o desenvolvimento da capacidade intelectual, moral e física do ser humano, algo que na pratica deixou de ter esse interesse educativo para ser mais de lucros, com o objetivo de acumular bens, destacando o “erro e a ignorância” como partes fundamentais para esses bens. Uma transformação social primeiramente deve ocorrer da união dos indivíduos conscientes dos desafios dessa educação capitalista que acaba alienando o povo dos seus direitos à educação, educação essa que seria para toda uma mudança social na busca de uma estrutura educacional para o bem comum na transformação da sociedade.

    2. Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão;

    “Espera-se, confiantemente, que esteja próximo o tempo em que o homem, por ignorância, não mais infligirá um sofrimento desnecessário sobre o homem; porque a maioria da humanidade se tornará esclarecida, e irá discernir claramente que ao agir assim inevitavelmente criará sofrimento a si própria.”(p.31)
    Criar pessoas conscientes para uma mente aberta dependerá da educação que ela irá receber, e esse é o grande problema já que a sociedade capitalista priva o povo de uma educação de qualidade, preferindo ter pessoas alienadas com regras impostas por o capital.

    “Os filhos das pessoas trabalhadoras são um corriqueiro fardo para a paróquia, e normalmente são mantidas na ociosidade, de forma que geralmente também se perde o que produziram para a população até eles completarem doze ou catorze anos de idade. Para esse problema, a solução mais eficaz que somos capazes de conceber, e que, portanto humildemente propomos, é a de que, na acima mencionada lei a ser decretada, seja determinado, além disso, que se criem escolas profissionalizantes em todas as paróquias, as quais os filhos de todos, na medida das necessidades da paróquia, entre quatro e treze anos de idades...devem ser obrigados a freqüentar.”(p. 41e42)
    A preocupação de Locke não era a de preparar esses filhos dos pobres para ter uma vida melhor que a de seus pais, mas visava o lucro desses trabalhos para o município e para o Estado; e dessa forma segundo ele elas teriam algum conhecimento religioso já que a igreja estaria responsável por doutriná-los para o trabalho e a compreensão religiosa.

    3. Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país.
    Uma mudança educacional é fundamental não só para criar pessoas criticas com a mente aberta para novas idéias, mas que essa educação esteja voltada a uma mudança na sociedade, dando oportunidades para as pessoas de conhecer o mundo que as rodeiam sabendo dos seus direitos e deveres melhorando não só a sua vida pessoal, mas o seu país. Porque é a partir da educação que podem fazer mudanças sociais e capitalistas dando oportunidades iguais a todos.

    Rafaela Rosa dos Santos, 4º período de Pedagogia.

    ResponderExcluir
  24. 1º A obra de István Mészáros tem como objetivo que a educação não deve qualificar para o mercado, e sim para a vida. É impossível nós brasileiros pensarmos dessa maneira, seriamos fútil e assim estamos contribuindo para uma educação desonesta sem nos preocuparmos com o futuros de amanhã e principalmente sem a ajuda das transformações políticas.

    2º A idéia é que a “aprendizagem é a nossa realidade ou a nossa própria vida, desde da juventude até a nossa velhice” , ou seja, é preciso buscar conhecimento para que possamos desenvolver nossa capacidade de aprendizagem para que possamos alcançar os nossos objetivos e estarmos ciente que a educação seja o melhor caminho. Página 47.

    “ A aprendizagem é a nossa própria vida” , ou seja, a principal função da educação formal é agir como um cão de guarda, é reivindicar uma educação para toda vida ou generalizadora , para que haja uma interação entre professor e aluno. Pág 55.


    3º O fato é que se nós pensarmos em educação capitalista não concretizamos nossos êxitos em conhecimento para que possamos está preparado para a educação , levando em consideração as mudanças da construção educacional. É como diz Mészaros “ Educar não e a mera transferência de conhecimento, mais sim conscientização e testemunho de vida. ( silvânia)

    ResponderExcluir
  25. 1. A ideia principal e para a área educacional, porem com a intenção de pensar em uma alternativa educacional. Sendo como processo vital do ser humano.
    2. Farei referencia aqui apenas duas grandes figuras da burguesia iluminista, a fim de ilustrar os limites objetivos, intransponíveis quando ligados a melhor das intenções subjetivas. (Pag. 28)
    Segundo Meszaros as proposições iluministas de Adam Smith, o maior representante da economia política, e de Robert Owem, um dos mais importantes ideologos do socialismo utópico, para demonstrar a miséria de suas propostas educacionais.
    3. A educação e fundamental dessa luta do capitalismo, pois e nele que grande parte das disposições ideológicas da ordem do capital se produz. (Pollyana da Silva)

    ResponderExcluir
  26. A EDUCAÇÃO PARA ALÉM DO CAPITAL.
    ISTVÁN MÉSZÁROS

    1 )Muito se ouve falar em CAPITALISMO X EDUCAÇÃO, nesta obra de ISTVÁN MÉSZÁROS, o autor relata que a “educação não deve qualificar para o marcado, mas para a vida” pag. 09
    Neste sentido é notório que o homem é preparado para habita em um mundo capitalista, onde o único objetivo gira em torno de lucros valorativos.
    Neste meio observa-se que a educação é voltada para um ensino que venha formar pessoas com capacidades de servir e sucumbir necessidades que são impostas pelo capitalismo.
    E frente à obra de ISTVÁN MÉSZÁROS o que é proposto é uma educação que vá além de um ensino voltado para o capital, algo que prepare o homem para vida.

    2) “A aprendizagem é a nossa própria vida desde a juventude até a velhice, de fato quase até a morte” pag 47
    De fato pode-se afirma que a educação não Sá faz parte da nossa vida desde a juventude como afirma o autor, mas também desde o nascimento, pois à medida que vamos crescendo a educação vem a fazer-se presente, nessa caminhada cada passo que a damos ela nos acompanha, e estes passos são pautados na educação.
    “A educação para além do capital visa uma ordem social qualitativamente diferente” pag. 71
    O que se tem como idéia é uma educação que de fato seja para o homem, com o desejo de forma cidadoas críticos perante a sociedade, e que eles tenham um olhar diferente, e que esse olhar seja em uma educação que venha voltada para a satisfação humana.
    3) Nota-se que de fato a educação volta-se para um mercado capitalista, em que o ensino perpetua no sentido do capital versus lucros, observa-se que a educação visa o capitalismo como algo exclusivo. E, no entanto o que se busca de fato é um ensino que não seja um mero produto de lucro do capitalismo, mais que seja um ensino que focalize na formação do homem para a vida valorizando o direito de igualdade da humanidade, sendo assim como centro o interesse pessoal e social.

    FERNANDA BARBOSA

    ResponderExcluir
  27. A EDUCAÇÃO PARA ALÉM DO CAPITAL
    Fernando Resplandes

    1) Ide alista, é assim que certamente muitos irão taxar essa idéia (educação versos capital) exceto aqueles que por algum motivo fogem às regras, e não estão totalmente emersos no pensamento de que tudo tem que ser proveniente do capital e que há uma porta para minimizar o massacre causado por esse sistema, e essa porta é a educação libertadora.
    Quando o autor (Isteván Mészáros), diz “precisa se fazer educação para a vida e não para o mercado”, está ele referindo-se à necessidade de se pensar um novo modelo de educação onde ela faça as leis para o mercado, e não o contrário como a tempos acontece e tende a perpetuar por muito tempo.
    Diante da temática friso a importância de avaliarmos que educação queremos, uma vez que podemos ao menos em um pequeno espaço promover a educação que almejamos (ou pelo menos botar em prática o nosso entender de como seria uma boa educação).
    2) Romper com a lógica do capital na área da educação equivale, portanto, a substituir as formas onipresentes e profundamente enraizadas de internalizarão mistificadora por uma concreta abrangente”. Pg. 47.
    Do que mészáros fala, podemos notar que, a abrangência da educação capitalista é bem inferior a uma educação pensada para a vida, além de limitar o indivíduo a um mundo pequeno onde não consegue ver nada além do dinheiro.
    “Nosso dilema histórico é definido pela crise estrutural do sistema do capital global. Está na moda de falar com total auto complacência, sobre o grande êxito da globalização capitalista”. Pg. 75.
    Com isso refletimos sobre o grande vulto creditado pelo capitalismo faz com que muitos acomodem suas inquietudes antes de tecer qualquer crítica a esse sistema e isso faz com que covardemente nos abstemos de qualquer idéia contrária a essa.
    3) Pensar uma educação para além do capital é antes de tudo pensar no ser humano, é ver na educação a oportunidade de melhorar a sociedade, é também ver o bem estar, a igualdade e a vida como sendo mais importantes que um enriquecer por exploração ou ser explorado por enriquecer.
    Caso a educação pregada por mészáros se concretizasse em um país, o impacto seria a ponto de fazer com que as pessoas tivessem novos hábitos, fossem mais educadas, mais gentis e generosas, mais confiáveis, menos corruptas e mais humanas, enfim essa sociedade seria diferente.

    ResponderExcluir
  28. Mirian Fernandes perera...4° período

    1° No contexto, do livro A educação para além do capital, escrito por Itván Mészáros, apresenta-se como contribuição singular. Como ponto de partida a educação que enfatizam ser urgente uma mudança que nos leva para além do capital, no sentido genuíno e educacional viável do termo.
    Ele argumenta que as proposta de reformas educacionais de Adam Smith e Roberto Owen, embora estivessem revestidas de genuínas como remédios contra os efeitos alienantes e desumanizastes do pode do dinheiro e da procura do lucro. Para uma educação é essencial para mesários, que os impeçam de internalizar dos indivíduos os impeçam de produção objetivamente possível do capital afinal. As reformas situam-se em uma esperto em que ocorrer. Propõe uma reflexão inicita a procurar desenvolver os reais os motivos e interesses da reformas educacionais.

    2° “a mais ampla das concepções de educação nos pode ajudar a perseguir o objetivo de uma mudança verdadeiramente radical.”(p.48)
    Capaz de nos proporcionar instrumentos contrários á lógica mistificada do capital.
    Somente deste modo será impossível expropiar de todos uma nova concepção de mundo contrário á lógica do capital, mesmo se considerarmos a força brutal.
    “a aprendizagem e a nossa própria vida” (p47) e sem ela deixamos de desenvolver nossas personalidade e graus de estimas.Para tanto, torna-se igualmente essencial manter sob controle o estudo político hostil realizar a transformação progressiva da consciência.

    3° Isto porque as determinações fundamentais do sistema do capital são irreformáveis, por isso a necessidade de se pensar a educação para além do capital. A quantas se interessam pelas questões educacionais contrarias aos modismos economicistas, as reformas apressadas e superficiais.

    ResponderExcluir
  29. Segundo Mészáros “apenas a mais ampla das concepções
    de educação nos pode ajudar a perseguir o objetivo de uma mudança verdadeiramente
    radical, proporcionando instrumentos de pressão que rompam com a
    lógica do capital”. (MÉSZÁROS, 2005, p. 48).Nesse sentido, entendo que seu papel para novas propostas de elaboração de estratégias para a mudança consciente
    dos educandos é fundamentaltendo em vista que estamos sob mundo capitalista.

    ResponderExcluir
  30. 3)A educação não é um mero ato,devemos mostramostrar para a sociedade capitalista que somente
    através de uma nova perspectiva é que teremos possibilidade de melhoria de vida,precisamos de novas ideias e fazer com que a escola não seja apenas uma etapa a ser
    percorrida em nossa existência, uma forma de nos tornarmos libertos deste mundo capitalista. ELANY

    ResponderExcluir
  31. 1) O objetivo principal deste trabalho é indicar algumas questões acerca do
    papel da educação frente à sociedade capitalista. É importante destacar
    que não se trata de um trabalho empírico, mas sim, de uma reflexão,uma
    tentativa de se pensar a relação ao capitalismo e a educação. ELANY

    ResponderExcluir
  32. 1-Segundo a obra o tema gira em torno da alienação da educação, ao passo que ela é apresentada como forma de instauração e manutenção do sistema capitalista, várias passagens do livro apontam para educação para o mercado e não como o meio de isntruir para a vida.(Josiane Ramos Silva)

    ResponderExcluir
  33. 1º De acordo com o entendimento proposto pelo autor, a obra retrata um grande objetivo desafiador de corrigir a lógica do capital, onde ele propõe uma educação para além do capital.
    A obra cita diversas citações em que a incorrigível lógica do capital, vem prevalecendo, na sociedade há muito tempo, pois a classe dominante obtém o dominho da sociedade, e tendo ela um poder aquisitivo elevado, prevalece sobre a classe menos favorecido.
    A sociedade é quem sofre com os impactos causados pela incorrigível lógica do capital, pois no mundo capitalista, a sociedade é regida pelo poder capitalista, que interfere em ambas as estruturas da sociedade; Na educação os impactos causam grandes problemas para os indivíduos, porque a educação acaba sendo transmitida como mercadoria, sem objetivo de propor uma educação que prepare os indivíduos a enfrentarem os desafios da sociedade


    2º “Uma reformulação significativa da educação é inconcebível sem a correspondente transformação do quadro social no qual as práticas da sociedade devem cumprir as suas vitais e historicamente importantes funções de mudança” (p.25).

    Para que haja uma mudança de desenvolvimento intelectual dos indivíduos através da educação, é preciso que esse modelo de educação existente seja reformulado, não só a educação, mas também todo o quadro social; Pois essa mudança só pode acontecer se a lógica do capital for rompida

    “O impacto da incorrigível lógica do capital sobre a educação tem sido grande ao longo do desenvolvimento do sistema”. (p. 35)

    Pode-se observar que durante o longo período da historia da educação a incorrigível lógica do capital vem causando grandes impactos sobre a educação sobre a educação, de certa forma contribuindo para o surgimento de diversas patologias dentro do processo educacional. Portanto não pode haver mudanças no sistema de educação sem ser quebrado o tabu da irreversível lógica do capital



    3º Para prevalecer uma educação que venha superar as idéias capitalistas seria um desafio imenso para toda a sociedade principalmente para a classe dominante, esta que de certa forma acaba se favorecendo com a educação capitalista.
    A educação para além do capital, é uma educação conscientizadora, que está sempre em busca de mudanças no sentido de transformar o individuo da sociedade em seres críticos e indagadores, que não fique acomodados com as imprudências que ocorrem dentro do sistema de educação. Além disso, essa educação também seria voltada para melhoria na qualidade do ensino, com objetivo de conscientizar os indivíduos a participarem do processo de transformação da sociedade, para positivamente enfrenta os desafios existentes nesse longo processo de transformação social. Portanto um processo de educação com idéias para além do capital, e transformar os indivíduos em pessoas
    capazes de viverem de forma atuante dentro doa sociedade

    ResponderExcluir

  34. A obra estudada "A Educação para Além do Capital" não refere-se a escola ao ensino ou sistemas escolares, mas sim a educação,Mészáros inicia seus comentários com as principais ideias filosóficas de PARACELSO, JOSÉ MARTÍ e MARX, que fazem paralelo entre as suas principais ideias sobre a educação. Paracelso ressalta que "A aprendizagem é a nossa própria vida, desde a juventude até a velhice de fato quase até a morte; ninguém passa dez horas sem aprender nada". E José entende como Paracelso, e critica as soluções políticas ideologicas encontradas em prol da educação.Na visão de Marx a linha divisória que separa os socialistas da sociedade bloqueiam as possíveis mudanças que podem hover para a humanidade. Tendo em vista que a educação não é apenas uma transferência de conhecimentos, mas leva as pessoas a ter um norte em suas vidas, ou seja, a educação nada mais é do que a construção e libertação do ser humano.



    "Uma reformulação significativa da educação é inconcebível sem a correspondente transformação do quadro social no qual as práticas educacionais da sociedade devem cumprir as suas vitais e historicamente importantes funções de mudanças."(p.25)
    A partir de um ponto de partida para uma reformulação educacional faz-se necessário que os movimentos políticos entre em ação não apenas para fazer nome ou entrar para a história, mas para transformar o quadro social e as limitações educacionais criadas pela própria sociedade e a falta de comprometimento dos órgãos responsáveis pela educação. As mudanças sobre as limitações são necessárias para quebrar paradigmas de que a educação desde o tempo feudal não sofreu nenhuma transformação,mesmo que seja o sistema de reprodução, com o objetivo de aperfeiçoar o que aqui não estava dando certo.
    Um sistema educacional trazido pelos Jesuítas e reformulado pelo sistema feudal, baseado no capital, só estudava quem tinha condições para pagar pelo conhecimento, a educação era de interesse apenas dos senhores para que os mesmos continuassem na classe dominante.
    "O que precisa ser confrontado e alterado fundamentalmente é todo o sistema de internalização, com todas as suas dimensões, visíveis e ocultas."(p.47)
    A educação para ser alterada e reformulada é preciso que haja um confronto entre esta educação que está internalizada na sociedade e uma educação que rompe o capitalismo para favorecer o desenvolvimento intelectual e material e a sobrevivência humana.



    Obviamente, que as instituições educacionais ao adaptarem-se as determinações do sistema capitalista deixam uma sociedade alienada e incapaz de inverti a lógica do capital que esta internalizada na sociedade e que deixa uma educação eficiente apenas para classe média e alta e a classe baixa ficando com uma educação de baixa qualidade.
    Entretanto, a sociedade capitalista é permanente em nossa sociedade, desde os primórdios que lutavam pelas terras e pelo alimento.Em nossa época tudo está voltado para o capital o sistema educacional a sociedade e principalmente a política que faz uma tentativa ideológica para a sociedade de mudança que é inconcebível pela própria globalização capitalista.
    Sendo assim a sociedade capitalista precisa ter uma educação contínua, e fazer com que a humanidade viva positivamente, desafiando as condições sociais em transformação. Portanto para análise final conclui-se que as medidas adotadas em qualquer momento são favoráveis a educação socialista no processo contínuo de transformação, é isso que determinará se prevalecerão as potencialidades positivas ou negativas do país. (ELENICE DA SILVA MOTA)

    ResponderExcluir
  35. 2-"Portanto desde o início o papel da educação é de importãncia vital para romper com a internalização predominante nas ecolhas politicas do estado capitalista que defende seus próprios interesses".(Mészáros 2005 pg.61)

    A educação é o meio pelo o qual o individuo pode transformar a sociedade e o meio em que está inserido.Através de seus conhecimentos poderá ultilizar seus direitos e cumprir seus deveres.Ex: Ultilizando seu voto consciênte, e lutando pelo seus direitos.

    ResponderExcluir
  36. 2-"Como podemos ver, a idéia de universalizar o trabalho e a educação em sua indissociabilidade è muito antiga em nossa história."(Mészáros 2005 pg 68).

    Podemos observar aqui que o trabalho e a educação sempre tiveram seu valor, um as vezes é visto como parte principal porque é importante para o sistema capilista, que é o caso do trabalho ficando assim a educação sempre em segundo plano.

    ResponderExcluir
  37. 3- A educação não deveria ser vista apenas como um meio capitalista, mas um meio pelo o qual o individuo seja preparado para a vida. se a educação fosse mais valorizada e compreendida e todos os envolvidos com ela como : Governantes, pedagogos, psicologos e outros, fossem realmente consciênte do seu papel na sociedade teriamos uma educação além do capital, além dos interesses do estado.( Josiane Ramos Silva)

    ResponderExcluir
  38. 1º De acordo com o entendimento proposto pelo autor, a obra retrata um grande objetivo desafiador de corrigir a lógica do capital, onde ele propõe uma educação para além do capital.
    A obra cita diversas citações em que a incorrigível lógica do capital, vem prevalecendo, na sociedade há muito tempo, pois a classe dominante obtém o dominho da sociedade, e tendo ela um poder aquisitivo elevado, prevalece sobre a classe menos favorecido.
    A sociedade é quem sofre com os impactos causados pela incorrigível lógica do capital, pois no mundo capitalista, a sociedade é regida pelo poder capitalista, que interfere em ambas as estruturas da sociedade; Na educação os impactos causam grandes problemas para os indivíduos, porque a educação acaba sendo transmitida como mercadoria, sem objetivo de propor uma educação que prepare os indivíduos a enfrentarem os desafios da sociedade


    2º “Uma reformulação significativa da educação é inconcebível sem a correspondente transformação do quadro social no qual as práticas da sociedade devem cumprir as suas vitais e historicamente importantes funções de mudança” (p.25).

    Para que haja uma mudança de desenvolvimento intelectual dos indivíduos através da educação, é preciso que esse modelo de educação existente seja reformulado, não só a educação, mas também todo o quadro social; Pois essa mudança só pode acontecer se a lógica do capital for rompida

    “O impacto da incorrigível lógica do capital sobre a educação tem sido grande ao longo do desenvolvimento do sistema”. (p. 35)

    Pode-se observar que durante o longo período da historia da educação a incorrigível lógica do capital vem causando grandes impactos sobre a educação sobre a educação, de certa forma contribuindo para o surgimento de diversas patologias dentro do processo educacional. Portanto não pode haver mudanças no sistema de educação sem ser quebrado o tabu da irreversível lógica do capital



    3º Para prevalecer uma educação que venha superar as idéias capitalistas seria um desafio imenso para toda a sociedade principalmente para a classe dominante, esta que de certa forma acaba se favorecendo com a educação capitalista.
    A educação para além do capital, é uma educação conscientizadora, que está sempre em busca de mudanças no sentido de transformar o individuo da sociedade em seres críticos e indagadores, que não fique acomodados com as imprudências que ocorrem dentro do sistema de educação. Além disso, essa educação também seria voltada para melhoria na qualidade do ensino, com objetivo de conscientizar os indivíduos a participarem do processo de transformação da sociedade, para positivamente enfrenta os desafios existentes nesse longo processo de transformação social. Portanto um processo de educação com idéias para além do capital, e transformar os indivíduos em pessoas
    capazes de viverem de forma atuante dentro doa sociedade

    CLEANE DE SOUSA FEITOSA

    ResponderExcluir
  39. A Educação para além do capitalismo
    Maria gildânia da Silva, 4º período, Pedagogia

    1º) Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada;
    O autor István Mézarós aborda uma temática muito relevante no meio educacional, e a faz de uma maneira bem sucinta levando em consideração todo o seu conhecimento adquirido durante todos os seus anos de estudo.
    A idéia principal que o livro A educação para além do capital, tem para nus passa, é o do papel da educação no contexto social, onde o autor defende que a educação pode mudar para melhor a nossa sociedade e que essa educação deve se parti de dentro para fora, ou seja, depende para própria pessoa a sua mudança social.
    Em fim só com as mudanças necessária na educação se é capas de mudar a sociedade capitalista e formar seres sociais.
    2º) Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão
    “Apenas a mais ampla das concepções de educação nos pode ajudar a perseguir o objetivo de uma mudança verdadeiramente radical, proporcionado instrumentos de preção que rompam a lógica mistificada do capital” (MÉSZÁROS, 2005, p 48).
    Diante das afirmações citadas acima podemos refletir o como é de estrema necessidade uma ampla concepção de mudanças, onde essas mudanças devem ocorrer de maneira gradativa para que se aja um choque de interesses, e importante que faça uma junção entre ambos o capital e o social.

    “O papel da educação não poderia ser maior na tarefa de assegurar uma transformação socialista plenamente sustentável”. (MÉSZÁROS, 2005, p 81).
    No que se refere à transformações educacionais pode se conseguir alcançar o seu objetivo de libertar do contexto capitalista através de uma educação que vai além dos níveis de ensino voltado ao capitalismo mercantil mas também para a formação de uma nova ordem social.

    3º) Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país.
    De fato o meio em que vivemos, esta intrinsecamente ligado ao capitalismo e isto esta desde os anos mais remotos na nossa sociedade. Com isso é quase impossível que se consiga alguma mudança, pois estamos e vivemos em estado de alienação capitalista.
    Contudo, a tarefa que os educadores têm que enfrentar é indiscutivelmente maior que a negação do capitalismo. O conceito de ir para além do capital é de fato um ponto positivo. Isso se dá em vista a realização de uma ordem social que possa se sustentar sem nenhuma interferência do capitalismo.


    .

    ResponderExcluir
  40. 1ª-O livro nos faz pensar intrigadamente em como está a educação,e podemos notar que ele fala muito dessa alienação da educação como inicio do sistema capitalista,ele aborda educação para o mercado,e não para a vida.Uma parte interessante é quando ele fala da educação como processo vital,mas como assim?,é claro, precisamos de uma boa educação,para ter a capacidade de transformar,ou seja,uma educação para a vida,caracterizando a natureza particular do homem.(Daniela Torres).

    2ª-Na página 65 o autor coloca algo bem interessante sobre a educação:
    “O papel da educação é soberano,tanto para a elaboração de estratégias apropriadas e adequadas para a mudar as condições objetivas de reprodução,como para a automudança consciente...”.

    Percebemos que o ponto de partida de tudo,é pela educação que tem o papel de mudar e elaborar novas metas para um caminho mais livre,para o crescimento e valorização,uma maneira pela qual pode-se tomar decisões conscientes,mais que para isso a educação,tem que ser bem vivida passando a ser parte do cotidiano.

    Mais na frente um pouco na página 76 ele afirma:
    “... A nossa tarefa educacional é, simultaneamente, a tarefa de uma transformação social, ampla e emancipadora”.

    Educação transformação devem andar juntas,então tem que ser pertinente a mudança no educar,a liberdade de expressar,é uma tarefa de todos ajudar para se obter bons êxitos,educação tem que ser questionada e ela não funciona sozinha,tem que ter a ousadia e perseverança dos educadores,como o autor mesmo diz: “As apostas são elevadas demais para que se admita o Hipótese de fracasso”.(Daniela Torres)


    3ª-Fica claro que infelizmente a educação ainda tenha que mudar um pouco ser mais livre,porém, não torna a idéia impossível já que hoje várias pessoas pensam em mudar essa educação,pessoas essas como nós,futuros pedagogos em busca da transformação,é como o Mészáros mesmo diz uma “educação vivida”,que seja contrutiva e inovadora.(Daniela Torres)

    ResponderExcluir
  41. 1- O livro “Educação para além do Capital” de István Mêszáros.
    Aborda como ideia principal, a importância de se ter uma educação de qualidade e livre da imposição dos governantes e das classes dominantes. Uma educação onde o ser humano seja centralizado como um ser que existe além da escola e que não se fundamente na busca incessante de lucro e política. O domínio do capitalismo somente aceita mudanças na educação quando estão dentro dos seus interesses sociais e econômicos. A função do capitalismo é dominar desde a educação inicial, até o trabalho futuro do homem. Segundo o autor as classes que dominam o sistema capital e por consequente o sistema educacional alienam o homem em todos os âmbitos de sua vida inclusive no trabalho, com a objetivação de domínio total.
    O livro enfatiza a necessidade da busca de uma educação que liberte que traga mudanças radicais e que tenha em vista que o conhecimento vai além do espaço escolar, mas que este perpassa para a vida.
    (Verônica da Silva)
    2- Mêszáros traz temáticas interessantes ao longo da obra, entre suas ideias ele aponta a seguinte:
    “Romper com a lógica do capital na área da educação equivale, portanto, a substituir as formas onipresentes e profundamente enraizadas de internalização mistificadora por uma alternativa concreta abrangente.” (pág. 47)
    A conscientização de que a aprendizagem deve levar em conta não só aspectos econômicos e sim aspectos de conduta e formação se fazem extremamente necessários. Deve- se ultrapassar os limites e ir à busca de objetivos que proporcione uma mudança radical e que rompam com a mistificação do capitalismo. O capitalismo proporciona uma educação que parece estagnar, ou seja, ele forma o homem para trabalhar para o sistema capital com um fim que envolva o interesse das casses dominantes e não para o futuro desse home enquanto ser social. Se o objetivo maior aqui é uma educação para além da escola e a aprendizagem é um exercício constante de renovação, é que se necessita uma transformação que busque a formação de um cidadão crítico que aja não segundo o sistema dominante mas que tenha pensamentos e ações próprias. Sabendo que a educação deve formar cidadãos livres e não alienados.
    (Verônica da Silva)
    3- diante da temática e do decorrer de todo livro, é notório que a educação precisa libertar e conscientizar o homem para a vida, e não para uma educação alienante em que o domínio do capital e do lucro seja as grandes referências. A educação deve promover mudanças satisfatórias na sociedade e na vivência de educadores e alunos. Uma educação que mude o quadro crítico de aprisionamento ao interesse dos dominadores da educação. Que revolucione o modelo econômico, politico, e que seja capaz de transformar a sociedade, conquistando um ensino voltado para uma educação além do capital.
    (Verônica da Silva)

    ResponderExcluir
  42. Acadêmica: Josinê Maria dos Santos Sousa
    04 período Curso de Pedagogia

    01:
    “ A educação para além do capital visa a uma ordem social qualitativamente diferente” (István Meszáros)
    A temática apresentada foca a educação como mantenedora do sistema capitalista sob forma de opressão, dominação e alienação onde suas idéias uma vez internalizadas, são consolidadas pelo próprio sistema de ensino.
    Na visão do autor, a educação é um fator primordial para a transformação do homem enquanto ser social que pensa e age e uma vez transformado contribuir na construção de uma sociedade com visão diferenciada dos valores até então impostos pelo capitalismo.
    A educação está além das idéias capitalistas pelo poder de buscar alternativas, dentro das limitações que o capitalismo impõe, visando uma educação capaz de libertar o homem das amarras do capitalismo para uma transformação social ampla e emancipadora.

    “Que o Sistema educacional liberte-se do modelo capitalista vigente e a educação seja meio para a aprendizagem do homem desde o nascimento até a morte” (Josinê)


    02:
    “... a aprendizagem é a nossa própria vida” (p.55)
    Diante do exposto afirmado por Paracelso há cinco séculos, seu pensamento não tem sido concretizado, visto que a educação tem sido mantenedora de um sistema que, tendo internalizado as idéias capitalistas vem- se consolidando como um modelo de educação em favor do capital voltado para o mercado de trabalho, esquecendo que a educação é um meio de formar para a vida.

    “ Sem um progressivo e consciente intercâmbio com processos de educação abrangentes como “ a nossa própria vida” a educação formal não pode realizar ás suas muito necessárias aspirações emancipadoras.” (p.59)
    Se a idéia aspira mudanças na perspectiva de liberta-se das idéias do capitalismo impregnados durante anos, é preciso que esteja sempre aberta, buscando em outras dimensões educacionais o fortalecimento através de práticas inovadoras objetivando uma educação voltada não apenas para o trabalho, mas numa perspectiva de transformação para que juntos uma vez fortalecidas, possam superar a lógica capitalista.(Josinê)


    03
    A educação deverá está a serviço do homem e não do sistema opressor.
    O processo educacional está além das idéias capitalistas pela força propulsora capaz de buscar através da aprendizagem; estimular, de forma gradativa, o homem, para o despertar de sua auto criticidade enquanto ser social, que pensa e age, pois, uma vez que ele tenha consciência do processo de alienação que o sistema impõe terá condições de exercer um trabalho que traga mudanças, capaz de beneficiar a si própria e a toda sociedade, contribuindo assim para a emancipação humana, promovendo o crescimento de uma sociedade livre das amarras do mercado capitalista. (Josinê)

    ResponderExcluir
  43. 1-A obra de Istavan Meszaros, me levar a entende que a educação vai alem do capital e não com uma olhar de preocupação , mas com um olhar de ganho. A educação tomar - se necessário a parceria de todos para o bem estar do educador. Cuidar e educar envolve estudo, dedicação, cooperação, cumplicidade e principalmente, o amor de todos os responsáveis pelo processo, apesar de todas esses aspectos negativo a que envolvem a educação precisamos ter consciência e sensibilidade nessa árdua tarefa de educar.
    Istávan mészaros relata em sua obra alem do capital que:

    “ as soluções não podem ser apenas formais,elas devem ser essenciais “ pág 35


    2- A aprendizagem é a nossa própria vida, desde a juventude até a velhice de fato quase até a morte, ninguém passa dez horas sem nada aprender . pág 47
    Diante disso, atualmente a educação e o maior tesouro para os seres humanos porém o processo da educação se define do aprender e do desenvolvimento de cada um..

    As soluções não podem ser apenas formais , elas devem ser essenciais. P 35
    Diante disso, o autor ressalta soluções essenciais e não meramente formais , pois considera que as determinações capitalista afetam profundamente o âmbito particular com alguma influencia na educação e de forma nenhuma apenas as instituições educacionais formais.

    3- Diante de tantos ocorridos ao longo período da historia da educação brasileira , o que mais vem se perpetuando, é a educação oferecida como se fosse uma mercadoria, onde se vende a qualquer lugar a preço simbólico.O que não se sabe realmente é se esta educação oferecida é de qualidade.
    A reprodução desse modelo de educação é um resultado que se originou em nossa sociedade há muito tempo atrás, isto é quando se iniciou a Historia da Educação Brasileira com os jesuítas, tendo o objetivo apenas de da instruções, obtendo lucros, por meio de alianças entre paises, estabelecidas a partir de um trabalho realizado, fruto de instruções apenas. ELIRAN ALMEIDA

    ResponderExcluir
  44. 1. Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada:
    O que Mészáros nos propõe desta vez é a necessidade essencial de ultrapassarmos os
    limites das mudanças educacionais radicais; A incorrígível lógica do capital e seu impacto sobre a educação. os processos educacionais e os processos sociais estão intimamente ligados . Somente haverá reformulação significativa da educação, se houver uma transformação social"[...] é necessário romper com a lógica do capital se quisermos comtemplar a criação de uma alternativa educaional significativa diferente".Que educação não deve qualificar para o mercado, mas para a vida.O autor defende, que a educação deve ser sempre continuada, constante, ou não é educação.
    2. Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão:
    1º " Espera-se, confiantimente, que esteja próximo o tempo em que o homem, por ignorância, não mais infligirá um sofrimento desnecessário sobre o homem" (p.31)
    - logo no no meu ponto de vista acredita-se que todos o até mesmo a maioria da humanidade torne-se esclarecida, desta vez poderá discernir o modo de melhor conviver em sociedade.
    2º outo ponto interessante que o autor aborda é a questão da educação institucionalizada, que serviu ou melhor serve os conhecimentos ao propósito do capital mas também valores que legitima os interesses dominantes" A educação institucionalizada[....]fornecer os conhecimentos e o pessoal nescessário à máquina produtiva em expansão do sistema,como gerar e transmitir um quadro de valores que legitime os interesses..."(p.35)
    3. Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país?
    R- O processo educacional deveria consistir não somente com vista no mercado, não deveria somente formar para o capital mas que pudesse além de tudo juntar com ideias que pudessem desviar de uma alienação que atualmente julgamos inerente a nossa convivência em sociedade. é preciso que haja um grande multirão em prol de uma educação libertadora que ensine o indivíduo a conviver de forma mais digna ao lado do todo poderoso " o sistema capitalista"

    ResponderExcluir
  45. 1. Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada;


    O livro A educação para além do capital, escrito por István Mészáros, apresenta uma rica lição sobre o papel da educação. Que a educação não deve simplesmente qualifica para o mercado mas se faz necessário uma educação que nos leve pra além do capital,István Mészáros propõe uma educação para vida toda.

    “ A aprendizagem é, verdadeiramente, a nossa própria vida. E como tanta coisa é decidida dessa forma, para o bem e para o mal, o êxito depende de se tornar consciente esse processo de aprendizagem, no sentido amplo e “paracelsiano” do termo de forma a maximizar o melhor e a minimizar o pior .
    (Mészáros, 2005, p. 48).

    Desse modo a educação pode contar com a verdeira mudança rompendo com “o círculo vicioso” do capitalismo,Ou seja a educação na vida das pessoas é inquestionável.Como os meios educacionais disponíveis é possível a educação proporcionar estes valores e conhecimentos para alcança-los .Somente através da educação buscamos aperfeiçoar e melhorar as condições de vida. A única coisa que não podemos esquecer que não aprendemos só na escola aprendemos em todo lugar e todo os dias.( keilanny Honorato da Costa)

    2. Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão;


    2.1 Um ponto importante que o autor coloca é que a Educação não existe somente na escola, pode-se aprender fora dela também, trazendo outros elementos para incorporar na educação é como se uma depende-sse da outra e ambas se complementassem.

    “sem um progressivo e consciente intercâmbio com processos de educação abrangentes como “a nossa própria vida”, a educação formal não pode realizar as suas muitas aspirações emancipatórias (Mészaros, 2005, p.59)

    O estudante deve pesquisar fora da escola e ter a vida como uma continuação da escola, pois a escola não ensina tudo e devemos buscar informações em outras fontes de conhecimento e sendo assim podemos aprender a toda hora e em qualquer lugar. (Keilanny Honorato da Costa)

    2.2

    “A nossa tarefa educacional é simultaneamente a tarefa de uma transformação social, ampla e emancipadora. Nenhuma das duas pode ser posta a frente da outra. elas são inseparáveis. (Maszaros, 2005, p.76)


    O dever da educação é dar subsídios aos homens, para que não se alienem nos seus trabalhos e sim que eles façam do trabalho uma grande arma contra o trabalho auto-alienante.
    A educação deve levar o homem a transcender os limites que ele mesmo coloca por conta de sua exploração, e somente a educação com uma tremenda transformação social que deve ser ampla e emancipadora, ou seja, geral e transformadora.
    (Keilanny Honorato da Costa)

    3. Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país.

    O livro aborda questões interessantes sobre a educação além do capital, a educação precisa de uma libertação que faça o ser humano transcender seus limites, pois a classe dominante quer ver o ser humano com a mente escravisada, o sistema capitalista não quer cidadão que pense e sim viva somente na sua dimensão mais na dimensão libertadora.
    O ser humano não deve ficar preso ao trabalho alienante que faz com que ele não veja tal exploração, o ser humano deve se libertar das concepções errôneas do trabalho e vê-lo como uma forma de se libertar e não viver a mercê da dominação política.
    Somente um processo de transformação social pode mudar a educação para torná-la libertadora e fazer o ser humano ir além do dinheiro, sendo assim os educadores poderão preparar seus alunos para ser não somente o melhor advogado, ou melhor médico e sim um cidadão ativo e participativo na sociedade.( Keilanny Honorato da Costa)

    ResponderExcluir
  46. 1. Desenvolva e registre de maneira objetiva uma análise sobre a idéia principal da obra estudada;

    Maszaros diz que:

    “A Aprendizagem é, verdadeiramente, a nossa própria vida e como tanta coisa é decidida dessa forma, para o bem e para o mal, o êxito depende de se tornar consciente esse processo o de aprendizagem, no sentido amplo “paracelsiano” do termo de forma a maximizar o melhor e minimizar o pior. (Maszaros, 2008. P.48).

    Nesse ponto pode-se observar que segundo o autor a educação não deve ser apontada como algo que leve o homem somente a sua profissão ou seu trabalho. Mais deve também levar o ser humano ao encontro de sua totalidade, seja no trabalho, na família, enfim a educação deve unir o homem que trabalha ao homem que pensa no sentido de que ambos são a mesma pessoa. (Marcos Roberto Santos de Amorim)




    2. Desenvolva e registre duas idéias secundárias que, ao longo da sua leitura, você viu como importantes de serem discutidas pelo grupo, fazendo a citação de ambas com as referidas páginas e posteriormente contribuindo com a sua forma de compreensão;


    “A Educação Institucionalizada, Especialmente nos últimos 150 anos, serviu-no seu todo – Ao propósito de não só fornecer os conhecimentos e o pessoal necessário à maquina produtiva em expansão do sistema do capital, como também gerar e transmitir um quadro de valores que legítima os interesses dominantes.” (Mészaros, 2005, p.35)


    Para Maszaros é preciso romper com toda a forma de capitalismo, mudar radicalmente a educação deve-se mudar todo o sistema político vigente, pois as soluções para uma boa reforma educacional não se encontram no sistema político e também não adiante tentar mudar o mesmo.

    Outro fator interessante a se ressaltar é que a escola por muito tempo se tornou um lugar onde funcionava como um recipiente de propostas ideológicas implantadas pela classe dominante. O povo precisa de uma educação que a liberte da exploração e dominação e essa libertação deve começar na consciência de cada um.(Marcos Roberto Santos de Amorim)

    3. Desenvolva e registre a sua forma de ver o processo educacional como algo além das idéias capitalistas e o que essa forma de educação pode trazer para um país.
    Capitalismo é um sistema fechado e por esse motivo não permite muitas oportunidades a classes menos favorecidas. A única saída para essas classes seria uma oportunidade que viria de uma ação política e educacional.

    Política porque precisa-se de uma conscientização maior por parte do povo. Educacional porque a educação prepara o indivíduo antes de tudo para ser um ser social e participar ativamente de movimentos sociais e, por conseguinte lutar por melhorias na educação e acreditar numa transformação política que possa trazer grandes benefícios a educação.
    O ser humano deve se tornar um “animal político” como queria Aristóteles e tomar consciência do seu papel de cidadão e participar das mudanças sociais e sempre lutar e acreditar que a educação não leva o homem somente ao trabalho mais antes de tudo a vida justa e reta. O importante não é somente viver mais viver com retidão.(Marcos Roberto Santos de Amorim)

    ResponderExcluir
  47. 1. Desenvolva e registre uma análise objetiva, sobre a idéia principal do livro estudado.
    R: O objetivo principal é a educação que mediante a tantas demandas capitalista, discutido de forma necessária para a aprendizagem de cada ser.

    2. Desenvolva e registre a sua contribuição de forma analítica sobre o tema: " Diretor articulador do projeto político pedagógico dialógico: diferentes fazeres, diversos saberes" (pag. 91 a 96).
    R: No caso dessa citação o homem tem sua inteligência escondido e não usa para seu conhecimento no trabalho no meio social e assim descobrir suas capacidades.

    3. Sabe-se que a formação continuada traduz-se como uma necessidade vigente no contexto educacional, dada as transformações sociais ocorridas. Frente a isso, escolha duas idéias secundárias do tema: "Diretor comprometido com a formação continuada: ensinando e aprendendo. Faça as duas citações que você viu como relevantes e posterior a isso desenvolva e registre uma análise sobre as citações escolhidas do texto solicitado.
    R: A educação é uma parte fundamental para o desenvolvimento do nosso pais, porque com uma boa estrutura educacional se tem uma melhor relação, colocar idéias em prática e enfatizar tarefas para o crescimento de cada individuo.

    O autor fala:
    1ª citação: "O coração fala através de palavras apenas quando eles são confirmada pelas ações [...] ninguém vê o que esta nele escondido, mas somente o que o seu trabalho revela." pág 67

    O autor fala:
    2ª citação "já a educação libertadora teria como função transformar o trabalhador em um agente político, que pensa, que age, e que usa a palavra como arma para transformar o mundo" pág 12.

    (Nathália Santos)

    ResponderExcluir
  48. endossando esse pensamento ao pensamento da Cleide e Geovana podemos perceber que esse processo caracteriza-se como um feito dominó. O comentário de cada uma trouxe abordagens interessantes sobre o cenário da educação. A começar pela Ana Cleide quando comenta sobre os novos caminhos que a educação precisa tomar para buscar essa mudança, complementando com o pensamento da Geovana quando coloca a mudanã na postura da escola sabendo que tal mudança caracteriza-se como uma transformação de pequeno porte. No entanto, com a aderência e a qualidade de todo uma dimensão com certeza virá a mudança.
    Parabens meninas. Ficou muito bom.
    Prof. Joselma

    ResponderExcluir
  49. Queridas Elany e Josiane, vi a pertinência dos seus comentários quando ambas colocam tantos as novas perspectivas educacionais, novas ideias e consequentemente novos ideais educacionais (Elany), quanto as políticas públicas transformadoras como um ponto a ser buscado (Josiane). Na verdade a grande lição a ser buscada é a mudança que podemos prover trazendo a responsabilidade de clarificar pra esse educando o verdadeiro sentido da palavra EDUCAÇÃO como algo de grande complexidade, que abrange também a capacidade de criticar e questionar. Isso nós, sem esperar pelas políticas podemos fazer.
    Muito bom o comentário de ambas.
    Prof. Joselma

    ResponderExcluir
  50. Elenice parabéns pelas suas colocações e principalmente pelo resgate histórico que você fez, relacionando a esse modelo de educação proposto pelo autor. O fato de estarmos abertos a quebrar paradigmas como você coloca, já se caracteriza como o primeiro passo para a mudança, uma vez que, no primeiro momento ela precisa partir de mim mesmo, e só depois para situações externas. Adorei!!!
    Prof. Joselma

    ResponderExcluir
  51. Verônica e Josinê quero parabenizá-las pelo olhar que ambas têm lançado rumo a educação e pela retrospectiva histórica como modo de comparação (Josinê). Muito bom e pertinente. Um olhar de verdadeiros educadores na sua real função da palavra por ser um olhar zeloso. Quero aqui reafirmar a necessidade que se tem de colocar a qualidade naquilo que nós fazemos como uma ação que vai libertar o individuo (Josinê) por meio de práticas inovadoras. Isso só acontece quando temos em nós a Pedagogia como escolha e não a Pedagogia pela demanda. Vejo essa Pedagogia da escolha em ambas.
    Parabéns!
    Prof. Joselma

    ResponderExcluir
  52. Cleane, Daniela Torres e Maria Gildania, quero aqui ressaltar a importância da contribuição de vocês no sentido de chamar a atenção para questões de como se proporcionar uma educação conscientizadora por meio da qualidade do ensino (Cleane), além de perceber esse processo como algo soberano, ou seja, atribuindo ao exercício de educar à propria forma de viver, pois sem educação o ser humano simplesmente não tem vida(Daniela Torres).
    Portanto venho aqui mais uma vez, ressaltar a importancia de nos compreendermos como esse eduacador que promove qualidade, que conscientiza de fato e consequentemente faz a mudança acontecer. Pensem nisso.
    Muito bom os comentários.
    Prof. Joselma

    ResponderExcluir
  53. Eliram, parabéns pela retrospectiva histórica que você fez, fazendo um paralelo a obra lida. Muito interessante que se tenha sempre esse olhar, para que assim possa ser suscitado em nós o desejo de mudança. Quero também ressaltar sobre o seu olhar afetivo no processo educacional. Muito pertinente posto que, cuidar e educar andam juntos e quando se cuida de alguém, cuida-se também da sua vida, do seu olhar crítico, da sua autonomia. O ato de cuidar vem como um pacote complexo de situações que precisam ser trabalhadas para serem tiradas as amarras do sujeito aprendente.Espero sinceramente que você permaneça com o olhar de cuidar e educar no real sentido da expressão.
    Muito bom.
    Prof. Joselma

    ResponderExcluir
  54. José Luis, Marcos e Keilane, quero ressaltar aimportancia das citações do autor escolhidas e comentadas por vocês.
    Bom comentário.
    Prof. Joselma

    ResponderExcluir
  55. Jordânia Castro

    1 O livro propõe uma educação que para nós educadores fazer a diferença na educação acabar com o capitalismo.


    2 " Apredizagem é a nossa própria vida pag.53"

    Ou seja no decorrer da vida apredemos a cada dia coisas novas até morrer sempre a algo aprender.

    "O coração fala através de palavras apenas quando elas são confirmadas pela ação pag.67"

    Através de gesto o homem mostra o que realmente esta no seu coração nas suas pequenmas atitudes esta é a sua realidade.


    3 A sociedade se organiza para economia infelizmente, tem os tipos de formação social ou seja relações de pessoas soberanas.

    As crianças são associadas muitos antes de entrar na escola e o fato e fato delas fazer parte do futuro são interesses, ou seja corresponde a valores, são formadas para corresponder a um valor no mercado este capitalismo para acabar tem que ter um novo olhar para educação.

    ResponderExcluir